Notícias » Pré-História

Há um milhão de anos, hominídeos adotaram medidas inovadoras para se adaptar a mudanças climáticas

Segundo Shixia Yang e sua equipe de arqueólogos, os primatas da China adotaram novos processos após a Transição Climática no Meio-Pleistoceno

Nicoli Raveli Publicado em 13/05/2020, às 16h00 - Atualizado às 19h00

Reconstrução espanhola do Homo antecessor
Reconstrução espanhola do Homo antecessor - Divulgação

Os sítios arqueológicos de Xiaochangliang, Cenjiawan e Donggutuo, na bacia de Nihewan, localizada no norte da China, atraíram os olhares de Shixia Yang e sua equipe.

Uma vez que o grupo visitou os três locais, puderam comparar as ferramentas que eram construídas a partir de pedras pelos hominídeos e descobrir o porquê esses primatas modificaram o modo de fabricação desses objetos a partir de determinado momento.

Ao analisar, os arqueólogos descobriram que a mudança ocorreu há um milhão de anos e os novos processos adotados — como o controle e planejamento de fabricação — fez com que houvesse uma ascensão das habilidades tecnológicas a fim de produzir, com cautela, os produtos desejados.

Para os especialistas, o fato está relacionado a Transição Climática no Meio-Pleistoceno, que ocorreu entre 1,2 milhão e 700 mil anos atrás. Naquela época, a transição acarretou em variantes climáticas, fazendo com que os primeiros habitantes de Nihewan vivessem em um ambiente instável.

Dessa maneira, os hominídeos foram obrigados disponibilizar de um novo sistema de fabricação, já que a modificação climática também produziu mudanças ecológicas, como a alteração de paisagens e extinção de diversas espécies de mamíferos.

Todavia, ao mesmo tempo em que a transição do clima resultou na adaptação tecnológica dos primatas, acredita-se que tenha sido a causa para a extinção dessa população ao norte da China.