Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / China

Hacker diz ter roubado dados da polícia de Xangai sobre 1 bilhão de chineses

O usuário anônimo postou a venda das informações em um fórum de hackers

Isabelly de Lima, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 04/07/2022, às 15h47

Imagem ilustrativa de programação - Pixabay
Imagem ilustrativa de programação - Pixabay

Na era digital, a proteção de dados é um dos fatores fundamentais para o bom uso das diversas plataformas, mas alguns riscos, os usuários da internet sempre correm. Um deles é exatamente o vazamento de dados pessoais. Em Xangai, a população está com a pulga atrás da orelha quanto a isso.

Na cidade da China, um hacker alegou ter conseguido informações pessoais da polícia sobre cerca de um bilhão de chineses. Caso isso seja verdade, essa pode ser uma das maiores violações de dados da história.

Identificado como “ChinaDan”, o internauta anônimo postou na semana passada, no fórum de hackers Breach Forums, a venda de mais de 23 terabytes (TB) de dados por 10 bitcoins, o equivalente a US$ 200 mil (cerca de R$ 1 milhão).

No post estava escrito a seguinte mensagem: “Em 2022, o banco de dados da Polícia Nacional de Xangai (SHGA) vazou. Esse banco de dados contém muitos TB de dados e informações sobre bilhões de cidadãos chineses".

E ainda detalhou os dados oferecidos: “Os bancos de dados contêm informações sobre 1 bilhão de residentes nacionais chineses e vários bilhões de registros de casos, incluindo: nome, endereço, local de nascimento, número de identidade nacional, número de celular, todos os detalhes do crime/caso”.

Preocupação nas redes

Em várias redes sociais chinesas o assunto foi discutido de forma assídua durante o fim de semana. A chefe de pesquisa de políticas de tecnologia da consultoria Trivium China, Kendra Schaefer, disse em um post no Twitter que se o material vindo do Ministério da Segurança Pública vazasse, seria ruim por “várias razões”, segundo o G1.

Obviamente, seria uma das maiores e piores violações da história", afirmou ela.

No último ano, a China aprovou leis novas que regem como as informações pessoais e os dados gerados dentro de suas fronteiras devem ser tratados, além de ter prometido uma melhora na proteção da privacidade de dados de usuários online. Isso ocorreu após reclamações públicas sobre uso indevido de dados pessoas e má gestão das grandes empresas.