Notícias » Família Real Britânica

Harry e Meghan: neto de Elizabeth II enxerga machismo no termo “Megxit”

Segundo o duque de Sussex, o apelido é um exemplo do ódio nas redes sociais

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 10/11/2021, às 15h44

Príncipe Harry em 2021
Príncipe Harry em 2021 - Getty Images

Em 2020, o casal formado por Meghan Markle e Príncipe Harry decidiu por deixar as suas funções oficiais como parte da família real britânica, mantendo seus títulos de duquesa e duque de Sussex, e mudou-se para os Estados Unidos, onde vive hoje em dia — a movimentação foi apelidada pela internet e pela mídia de “Megxit”.

O nome, uma mistura de Meghan e Brexit, a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia, foi supostamente criado por um ‘troll’, uma pessoa que cria caos na internet, de direita, como revelado por Harry em um painel da publicação WIRED sobre desinformação do qual ele participou na última terça-feira, 9. 

O membro da família real afirmou que o termo “Megxit” é inerentemente misógino e serve como um exemplo do ódio nas redes sociais, explicando o que aconteceu para a popularização deste apelido. As informações são da cobertura do O Globo.

Talvez as pessoas saibam disso ou talvez não, mas o termo Megxit era ou é um termo misógino e foi criado por um troll, amplificado por correspondentes reais, e cresceu, cresceu e cresceu na mídia convencional. Mas tudo começou com um troll”, afirmou o duque.

Segundo o príncipe, a decisão de mudar-se para os Estados Unidos foi feita em conjunto e, além de outras motivações, foi impulsionada pelo racismo que Meghan Markle estava sofrendo na mídia britânica.