Notícias » Mundo

Herdeiro da Disney se arrepende por 'não fazer muito' pela comunidade LGBTQ+

Charlee Corra Disney é transexual, mas até então não havia sido ativo na defesa dos direitos de sua comunidade

Redação Publicado em 11/04/2022, às 14h22

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Getty Images

Charlee Corra Disney, um dos descendentes de Walt Disney, portanto, herdeiro da gigante companhia, revelou arrependimento por não ter feito mais em relação a um projeto de lei aprovado no estado norte-americano da Flórida que ficou conhecido como "Não Diga Gay". 

A medida, que foi considerada anti-LGBTQ+, proíbe que professores abordem questões de gênero ou orientação sexual até a terceira série.

Na época, o CEO da Disney, Bob Chapek, foi criticado por doar 5 milhões de dólares aos políticos responsáveis pela elaboração da lei, conforme repercutido pelo Sky News. 

Charlee, por sua vez, revelou sua trajetória como trans quatro anos atrás, porém, admite não ter usado de sua influência para defender a comunidade de ataques como o projeto de lei citado. 

"Sinto que não faço muito para ajudar. Eu não ligo para senadores ou tomo medidas. Eu senti que poderia estar fazendo mais", confessou o herdeiro, que trabalha como professor de biologia, durante uma entrevista à revista The Los Angeles Times no domingo passado, 10. 

Como compensação pelo seu silêncio anterior, a família do homem trans fez, na semana passada, uma doação de 5 mil dólares para a ONG Human Rights Watch. Seu pai, Roy Patrick, divulgou um pronunciamento na época em que citava o filho: 

A igualdade é profundamente importante para nós, especialmente porque nosso filho, Charlee, é transgênero e um membro orgulhoso da comunidade LGBTQ+”, afirmou o sobrinho-neto de Walt Disney