Notícias » Personagem

Historiador resgata foto de Hélio Gracie, disseminador do jiu-jitsu brasileiro, com uniforme fascista

A fotografia foi descoberta nas páginas da revista A Offensiva, veículo oficial de notícias do Movimento Integralista na década de 30

Giovanna de Matteo Publicado em 13/08/2020, às 09h16

Hélio Gracie, disseminador do jiu-jitsu brasileiro
Hélio Gracie, disseminador do jiu-jitsu brasileiro - Divulgação

A pesquisa de Leandro Pereira Gonçalves, da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG), revelou uma imagem do lutador Hélio Gracie vestindo o uniforme do Movimento Integralista. As informações foram publicadas pelo UOL.

O movimento que ganhou força nos anos 1930 e foi criado por Plínio Salgado. O integralismo brasileiro se inspirou em ideologias como o fascismo de Mussolini — ele defendia um estado forte e a volta dos valores nacionalistas, religiosos e conservadores, sendo um de seus lemas "Deus, pátria e família".

Hélio é considerado o responsável pela difusão do jiu-jitsu brasileiro (ou jiu-jitsu Gracie), estilo de luta criado por ele e seu irmão. "O fato de ele ser um lutador de uma arte marcial genuinamente brasileira tem uma relação com o nacionalismo brasileiro pregado pelo integralismo", afirmou o historiador.

Em uma capa da revista A Offensiva, jornal da época que era porta-voz do integralismo, Gonçalves descobriu uma imagem de Gracie, que vestia a camiseta verde com o símbolo da letra grega sigma — uniforme oficial dos integralistas.

A notícia dizia: "Hélio Gracie, o consagrado campeão patrício de jiu-jitsu, assignou sábado, em nossa redacção, o respectivo contracto com a Empreza Pugilistica Brasileira para a realização da esperada peleja com o valoroso instructor da Liga de Sports da Marinha, Takeo Yano", com a grafia da época. 

Jornal A Offensiva / Crédito: Divulgação

 

Leandro Gonçalves afirma que analisou a fundo seu material de pesquisa e achou muitas referências à Hélio Gracie que, segundo ele, foi um membro ativo e até mesmo referência no grupo, além de frequentar o núcleo de Ipanema. "A Ação Integralista Brasileira (AIB) valorizava a juventude, a agressividade e a virilidade masculina, e o esporte assumiu uma importância grande no integralismo e no fascismo como um todo.", declarou ele.