Notícias » Brasil

"Hoje tudo é racismo, preconceito e assédio", afirma Glória Maria em entrevista

Em entrevista por live com a Glamurama, a jornalista falou mais sobre as transformações da televisão brasileira e como viveu o isolamento social nesses últimos meses

Isabela Barreiros Publicado em 28/09/2020, às 22h14

A jornalista Glória Maria
A jornalista Glória Maria - Wikimedia Commons

A jornalista e apresentadora Glória Maria realizou sua primeira live, em uma entrevista à Glamurama, na última sexta-feira, 25. Ela falou sobre a situação atual do Brasil que passou por meses de isolamento social para tentar conter a disseminação do novo coronavírus, sobre as transformações na TV brasileira e fez ponderações sobre o futuro.

Com um período para reflexão, além de poder pensar mais sobre sua vida, Glória também reviveu momentos na Rede Globo, que desenvolveu uma programação no Globo Repórter para comemorar os 70 anos da televisão brasileira.

“Foi a viagem que eu não estava fazendo. A produção do programa me mandou o material do acervo e revi coisas da minha história que não lembrava mais. Várias vezes me emocionei e chorei. Revivi momentos da minha trajetória e estou viva para recordar isso. Voltei em uma edição especial do Globo Repórter, nada é por acaso, Deus sabe o motivo. Esse programa fez eu reencontrar a Glória Maria vaidosa” disse.

Sobre as transformações na TV também questionou: “Eu acho tudo isso um saco. Hoje tudo é racismo, preconceito e assédio. A equipe com que trabalho me chama de ‘neguinha’, de uma forma amorosa e carinhosa. Estou mais de 40 anos na televisão, já fui paquerada, mas nunca me senti assediada moralmente. O assédio é algo que te fere, é grosseiro, desmoraliza. Existe uma cultura hoje que nada pode. Tem que ter uma diferenciação, não dá para generalizar tudo. O politicamente correto é um porre. Acredito que o politicamente correto é o caráter, a honestidade. Esse mundo que a gente está vem muito da amargura das pessoas, não aceito”.

A entrevista também expõe o que a jornalista pensa para o futuro, tanto em relação para a televisão brasileira quanto para sua vida pessoal. Ela afirmou que o conteúdo deverá ser repensado devido à pandemia, e que também quer viajar para a Arábia Saudita e para o Taiti.