Notícias » Austrália

Homem coloca fogo na própria loja a fim de matar o coronavírus

Segundo o australiano, ele tomou essa atitude para ‘proteger seus clientes contra o novo vírus’

Penélope Coelho Publicado em 04/08/2020, às 14h42

Loja pegando fogo em Bruce Rock, Austrália
Loja pegando fogo em Bruce Rock, Austrália - Divulgação/Twitter/Bruce Rock Police Department

Em março deste ano, um homem chamado Edward Guy Mason, de 57 anos, protagonizou um episódio controverso. Na ocasião, o cidadão que é dono de um supermercado em Bruce Rock, na Austrália, ateou fogo em seu estabelecimento a fim de exterminar o novo coronavírus do local. As informações são da rede de TV ABC.

De acordo com a publicação, Mason confessou que colocou fogo na própria loja para proteger seus clientes do novo vírus. O homem informou que sofre de problemas psicológicos e que a condição piorou durante a pandemia.

Edward contou que, ao ver clientes de outras cidades comprando estoques de papel higiênico e álcool em gel em seu estabelecimento, seu nível de estresse aumentou consideravelmente — o que levou ao surto.

Na ocasião, o homem foi preso em flagrante e estava detido até o momento. Não houve vítimas ou feridos em decorrência do incêndio, contudo, Edward teve um prejuízo de cerca de 1 milhão de dólares (aproximadamente R$ 3,8 milhões de reais na conversão atual da moeda). Além de ter causado danos na loja de seu irmão, que ficava ao lado do supermercado.

Em seu julgamento, o australiano admitiu a autoria do caso e disse estar arrependido de seus atos. Na cadeia Edward foi tratado com antidepressivos que melhoraram seu quadro de estresse.

O juiz responsável pelo caso cancelou a decisão estipulada anteriormente, que dizia que Manson seria condenado a um ano e quatro meses de prisão. Contudo, o homem deverá arcar com uma indenização para o irmão.