Notícias » Ásia

Homem é considerado inocente após passar 27 anos em prisão na China

Acusado de assassinar dois vizinhos, o chinês recorreu da decisão tomada em 1993 até 2019, quando o Supremo acatou os pedidos de familiares

Wallacy Ferrari Publicado em 06/08/2020, às 11h19

Imagem ilustrativa de uma prisão sombria
Imagem ilustrativa de uma prisão sombria - Pixabay

Um homem chinês, identificado como Zhang Yuhuan, de 53 anos, foi libertado de uma condenação de prisão perpétua, na última terça-feira, 4, após cumprir 27 anos injustamente. O Supremo Tribunal Popular da província de Jiangxi concluiu que a acusação de duplo homicídio apontou o homem como o assassino de maneira errônea, visto que as provas eram insuficientes.

Em 1993, o homem foi acusado de matar dois jovens vizinhos na cidade de Nanchang, sendo condenado à morte dois anos depois. A pena, no entanto, foi comutada para uma sentença de prisão perpétua após o bom comportamento do homem na cadeia. Desde então, o homem e sua família apelava ao tribunal superior para reavaliar a sentença.

A alegação da família de Zhang acrescentava que o homem foi torturado durante os interrogatórios e forçado a apontar provas inexistentes. O China Daily informou que o homem não recebia um novo julgamento desde 2001, quando um tribunal intermediário confirmou a primeira sentença, recusando recursos.

Em março de 2019, o Supremo Tribunal Popular de Jiangxi reabriu o caso, concluindo no início de agosto que Zhang era inocente. "Depois de revisar os materiais, descobrimos que não há evidências diretas que possam provar a condenação de Zhang. Por isso, aceitamos a sugestão dos promotores e declaramos Zhang inocente", disse o juiz Tian Ganlin em entrevista ao Global Times.