Notícias » Turquia

Homem é condenado a 1,3 mil anos de prisão na Turquia, após chacina

O terrorista Abdulkadir Masharipov foi responsável por uma das chacinas mais brutais da história do país europeu

Wallacy Ferrari Publicado em 08/09/2020, às 10h49

Abdulkadir Masharipov no momento de captura (à esq.) e já na delegacia (à dir.)
Abdulkadir Masharipov no momento de captura (à esq.) e já na delegacia (à dir.) - Divulgação

Um tribunal da Turquia condenou o terrorista Abdulkadir Masharipov a 40 penas de prisão perpétua pelos assassinatos de 39 pessoas e mais 1.368 anos de prisão pelas 79 tentativas de homicídio durante um atentado em uma casa noturna no réveillon de 2016 para 2017 em Istambul.

O terrorista nasceu no Uzbequistão, mas na noite do dia 31 de dezembro de 2016, entrou na casa de shows Reina e metralhou centenas de pessoas, sem selecionar os alvos. No dia do atentado, conseguiu eliminar o máximo de pessoas até o fim da munição de sua metralhadora e ainda escapou do local, sendo capturado 16 dias depois.

Inicialmente, o acusado atribuiu o ataque ao Estado Islâmico e afirmou ter seguido ordens, mas durante o último julgamento, assumiu que não teve a associação a organização e disparou indiscriminadamente, além de atirar granadas no local. As 40 penas perpétuas representam cada um dos mortos, além de uma por violar a Constituição.

Além do terrorista, o tribunal condenou Ilyas Mamasharipov a 1432 anos de prisão por colaborar indiretamente nos crimes, cedendo equipamentos. Outros 57 acusados de associação tiveram penas variadas, sendo 11 absolvidos de todas as acusações.