Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Crime

Homem é sequestrado pelo ex-sócio e deixado em outra cidade após pix de 18 mil

Empresário foi capturado em Búzios, no Rio de Janeiro, e liberado em Campos dos Goytacazes, a 179 km de distância

Redação Publicado em 09/07/2022, às 14h25

Suspeito do sequestro foi preso - Divulgação / Polícia Militar
Suspeito do sequestro foi preso - Divulgação / Polícia Militar

Um homem foi sequestrado por seu ex-sócio na região de Armação dos Búzios, no Rio de Janeiro, e deixado em Campos dos Goytacazes, a 179 km de distância, na última sexta-feira, 8. Antes de ser liberado, no entanto, o empresário teve 18 mil reais subtraídos por meio de um pix.

A vítima, que é dona de uma distribuidora de frutas em Cabo Frio, disse ao portal de notícias G1 que viaja com frequência levando seus produtos para regiões próximas e que recebeu uma mensagem no WhatsApp para comparecer à inauguração de um hortifrúti em Búzios. No entanto, tudo não passava de uma emboscada organizada pelo ex-sócio, quem estava acompanhado de um segundo homem.

"Chegando perto do endereço os bandidos já estavam lá em um outro veículo e me abordaram com uma faca e uma arma, fazendo com que eu fosse para o banco de trás com um dos bandidos enquanto o outro bandido dirigia", contou a vítima, que preferiu não se identificar.

Pix e ligação para o irmão

Segundo o empresário, depois de desbloquearem seu celular realizarem um pix de 18 mil reais, os criminosos ainda o obrigaram a ligar para o irmão pedindo mais dinheiro.

Após conseguir o que queria, a dupla deixou o empresário em uma estrada, onde ele conseguiu pegar uma carona para o centro de Campos de Goytacazes. Chegando lá, o homem pegou um táxi e foi até a polícia.

Mais tarde, a vítima soube que os criminosos haviam abandonado o veículo, que tinha rastreador e foi localizado pelas autoridades. Os agentes ainda conseguiram encontrar o ex-sócio, que, de acordo com a Polícia Militar, teria cometido o crime em razão de problemas na sociedade.