Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Homem é tratado com comprimido contra Covid-19 na Itália

O medicamento da farmacêutica Pfizer pode rapidamente tornar-se uma realidade em hospitais ao redor do mundo

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Wallacy Ferrari Publicado em 05/02/2022, às 08h00

Imagem meramente ilustrativa - Pixabay / mike_ramirez_mx
Imagem meramente ilustrativa - Pixabay / mike_ramirez_mx

Paxlovid, o comprimido contra a Covid-19 da empresa Pfizer, já começou a ser medicado em casos leves da doença na Europa — e teve sucesso no tratamento de um paciente na capital italiana de Roma, como confirmado nesta sexta-feira, 4, pelo hospital Instituto Lazzaro Spallanzani, onde estava internado.

O medicamento antiviral não é uma alternativa à vacina, que fortalece o sistema imunológico e impede conjunturas graves do coronavírus, mas pode ser uma maneira de tratar as pessoas que contraíram o vírus. O paciente tem 54 anos de idade e, com a ingestão do comprimido, já está há três dias sem sintomas.

De acordo com reportagem do portal UOL, o conselheiro de Saúde da região do Lazio, onde se encontra Roma, Alessio D’Amato chamou o Paxlovid de “arma extra”, além de apontar que o território conta com uma das melhores coberturas vacinais da Itália.

“A luta contra a Covid nos ensinou que o fator tempo é essencial. O Instituto Spallanzani fez bem, começando imediatamente com os recrutamentos para a administração do novo antiviral Paxlovid, uma arma extra que não substitui a vacina. O Lazio está entre as regiões que têm o melhor desempenho na cobertura vacinal, na administração de anticorpos monoclonais e antivirais", explicou.

Conversas sobre os comprimidos já são uma realidade entre a Anvisa e a Pfizer e, com isso, o Paxlovid pode estar presente nos hospitais brasileiros em breve. O tratamento, que consiste na ingestão de seis medicamentos por dia durante cinco dias, é composto por um antiviral Nirmatrelvir e um remédio potencializador, o Ritonavir.