Notícias » Estados Unidos

Homem mata o pai durante videochamada com 20 testemunhas em Nova York, EUA

Utilizando o aplicativo Zoom, o idoso de 72 anos estava em uma sala de bate-papo quando os participantes presenciaram seu esfaqueamento

Wallacy Ferrari Publicado em 23/05/2020, às 15h00

O pai, em fotografia com amigo (à esq.) e o filho, sendo detido pela polícia (à dir.)
O pai, em fotografia com amigo (à esq.) e o filho, sendo detido pela polícia (à dir.) - Divulgação / News 12 Long Island

Enquanto realizava uma conferência por vídeo no aplicativo Zoom na manhã de quinta-feira, 21, Dwight Powers, 72, foi surpreendido por um invasor em sua residência na cidade de Amityville, em Nova York, EUA. Acompanhando tudo pela webcam, os outros 20 participantes da chamada viram o homem ser agredido e, em seguida, esfaqueado até a morte.

A cena das agressões durou minutos, sendo transmitida por vídeo sem interrupções. Enquanto isso, os membros da chamada ligaram para a polícia, descrevendo o agressor.

Assim que se certificou que o homem estava morto, o invasor pulou da janela da casa, no primeiro andar, e fugiu para uma loja de departamento, onde comprou um refrigerante e tentou limpar o sangue das roupas.

A surpresa, no entanto, foi em sua captura; ao ser detido na saída da loja, o homem, identificado como Thomas Scully-Powers, 32, é filho de Dwight e afirmou que o pai que começou a luta corporal.

Em entrevista ao AFP, o promotor local Timothy Sini afirmou que o rapaz não explicou o motivo da luta, mas confessou o assassinato intencional: “O suspeito esfaqueou brutalmente seu pai repetidamente, até ter certeza de que ele estava morto”.

Thomas, sem antecedentes criminais, está preso com uma acusação formal de assassinato e aguarda uma nova audiência, agendada para dia 26, próxima terça-feira, podendo pegar até 25 anos de detenção.