Notícias » Religião

'Homem santo', considerado líder de adoradores de cadáveres, é preso na Tailândia

Os seguidores da seita também consumiam fluidos corporais de Thawee Nanra, como urina e catarro, sob a crença de que curariam doenças

Redação Publicado em 09/05/2022, às 14h03

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Divulgação/Pixabay/Ichigo121212

Um homem autoproclamado santo, líder de uma seita que supostamente adorava cadáveres e consumia seus fluidos corporais como cura para doenças, foi preso no nordeste da Tailândia no último domingo, 8.

Thawee Nanra, de 75 anos, foi levado pelos oficiais de sua casa de palha das profundezas de uma floresta situada na província de Chaiyaphum em meio a gritos de pelo menos 12 seguidores, que acredita-se estarem morando com ele.

Segundo as autoridades, foram descobertos 11 cadáveres dentro de caixões espalhados pela casa e, conforme noticiou a mídia local, é possível que sejam corpos de seus antigos apoiadores.

Além de supostamente adorarem os cadáveres mantidos nas instalações, os devotos também disseram que acreditavam que a urina e catarro do líder poderiam curá-los de doenças.

Ao jornal The Guardian, o governador da província, Kraisorn Kongchalad, declarou completo choque ao descobrir que esse tipo de prática ainda acontecia nos tempos modernos.

“É bastante perturbador ver que existem pessoas que acreditam em tal superstição, mas não se trata mais apenas de uma crença pessoal. Temos cadáveres e teremos que trabalhar com todas as agências para estabelecer os fatos em torno desses indivíduos”, afirmou.

O grupo permaneceu no anonimato por quatro anos até a filha de um dos seguidores entrar em contato com uma celebridade da mídia social especializada em expor figuras religiosas desse tipo.

Agora, Nanra é acusado de invadir uma área de floresta e realizar reuniões ilegais proibidas durante o período da pandemia de covid-19, além de descarte ilegal de corpos. A fiança do homem foi negada nesta segunda-feira, 9.