Notícias » Estados Unidos

“Humilhação total”, diz homem negro paraplégico que foi arrancado de carro durante abordagem policial

Clifford Owensby acusa polícia de Dayton (EUA) de ação desumana: “Foi ódio em seu estado mais puro”

Fabio Previdelli Publicado em 12/10/2021, às 08h45

Momento que Clifford Owensby é abordado
Momento que Clifford Owensby é abordado - Departamento de Polícia de Dayton

No último final de semana, no estado americano de Ohio, Clifford Owensby, um homem negro de 39 anos, abriu uma queixa contra o departamento de polícia local após ter sido sofrido uma abordagem policial, a qual considerou “uma humilhação total”. 

O homem, que é paraplégico, acusa o Departamento de Polícia de Dayton de discriminação racial. Além do mais, imagens gravadas por câmeras corporais dos próprios policias mostram Owensby sendo arrastado para fora do carro, sendo puxado pelos cabelos, após os agentes de segurança ouvirem que ele não conseguia andar. 

 

“Eles me arrastaram que nem um cachorro, que nem lixo”, disse Clifford em uma entrevista coletiva no último domingo, 10, segundo relata a Reuters. Ele diz que o tratamento que recebeu das autoridades foi desumano, além de negar ter feito algo contra a lei.  

“Foi humilhação total, foi ódio em seu estado mais puro”, completou.  

Segundo comunicado da polícia, os agentes estavam averiguando uma “suposta casa de drogas” pouco antes de abordarem Owensby. Os agentes dizem que viram o rapaz deixar o local em seu carro.  

Nas imagens gravadas pelos policiais, Clifford explica — antes de entregar sua documentação — que o menino que estava no banco de trás do veículo era seu filho, de apenas 3 anos. Com a verificação dos dados do rapaz, os agentes de segurança disseram ter constatado que ele havia sido condenado por posse ilegal de drogas e armas

Logo em seguida, um deles pede a Owensby que desça do carro para que um cão farejador cheque a situação. “Não posso sair do carro, senhor, sou paraplégico”, explica. “Bem, vou ajudá-lo a sair”, responde o policial.  

Clifford diz, logo em seguida: “Não, acho que isso não vai acontecer, senhor”, pedindo para falar com um supervisor da dupla. Assim, inicia-se uma discussão e um dos agentes dá um ultimato: “Você pode cooperar e sair do carro ou eu posso arrastá-lo para fora”. E assim o faz. 

Quando está sendo arrancado a força do veículo, o rapaz começa a gritar pedindo ajuda. Logo depois ele é algemado e arrastado pela rua. A polícia diz ter encontrado, segundo a Reuters, uma sacola com cerca de 22 mil dólares. Um cão farejador sugeriu que o dinheiro esteve em contato, ou próximo, de drogas ilegais, explicou um relatório da polícia.  

Clifford alega que nenhuma arma ou qualquer tipo de drogas foram encontradas em seu veículo, além de dizer que não foi acusado de nenhum crime relacionado a isso. Sobre a quantia em dinheiro, ele diz que era uma economia e que estava no local apenas para devolver aparelhos de TV a cabo de uma propriedade que administra uma empresa que presta esse tipo de serviço. A polícia não respondeu mais perguntas sobre o caso.