Notícias » Guerra

Idosa que muniu russos de informações militares ucranianas é presa por traição

Nadiya Antonova era funcionária pública e teve prisão com agentes de segurança portando fuzis

Wallacy Ferrari Publicado em 11/05/2022, às 05h04

Idosa sendo conduzida em operação
Idosa sendo conduzida em operação - Divulgação / YouTube / The Sun

Uma idosa chamou atenção da imprensa internacional ao ser presa durante a última terça-feira, 10, por um crime de guerra; a senhora, identificada como Nadiya Antonova, foi acusada pelo governo ucraniano de traição ao país ao favorecer tropas russas com informações militares da Ucrânia.

Ela atua como secretária do conselho local na região de Kutuzivka, localizada na província de Kharviv, que é um dos epicentros da invasão russa por contar com apoiadores do país vizinho e por estar próximo de uma das principais fronteiras.

Após a retomada das forças ucranianas, ela foi localizada e presa em operação, chegando a ser algemada e conduzida a um veículo militar ao lado de alguns agentes. A ação foi registrada em vídeo pelo jornal britânico The Sun, que noticiou algumas das acusações feitas pelas forças locais onde Nadiya teria ajudado os inimigos.

Como ela ajudou

O veículo registra que ela revelou não apenas nomes de soldados do Exército, mas policiais e especialistas que estavam presentes em operações contraterrorismo, explicando a hierarquia de funcionamento do combate a invasão na região.

A Promotoria ainda acrescentou ao jornal britânico que alguns dos militares que tiveram identidades reveladas pela idosa foram capturados e torturados por membros do Exército russo. Não há informações sobre o local onde ela foi levada ou previsão de julgamento.