Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Golpe

Idoso suspeito de golpe é preso ao prometer facilitar adoção de bebê ucraniano

O homem pediu cerca de 10 mil reais pela “ajuda” no processo

Redação Publicado em 20/06/2022, às 17h00

Registro da prisão do suspeito - Divulgação/Vídeo
Registro da prisão do suspeito - Divulgação/Vídeo

Suspeito de aplicar um golpe em uma mulher de Goiás, um idoso de 64 anos foi preso depois de dizer que conseguiria facilitar a adoção de um bebê ucraniano órfão da guerra. As imagens da criança eram tiradas de um banco de imagens online e o homem recebeu cerca de 2 mil euros, o equivalente a quase 10 mil reais, de acordo com a polícia.

No último dia 15, Auly Rosa de Paula foi preso em Belém (PA). O suspeito, sabendo que a vítima tinha vontade de ter um filho, disse que estava na Europa auxiliando jornalistas na cobertura da guerra com a Rússia, e poderia ajudar com um suposto processo de adoção, contou o delegado Paulo Ludovico.

Paulo ainda explica que "ele começou a trocar mensagem com essa mulher, informou que estaria em uma cidade da Polônia cobrindo a guerra e esses repórteres estariam ajudando essas crianças no processo de adoção. Sabendo que essa mulher queria um novo filho, disse que poderia intermediar esse processo".

Ainda no Brasil                                                     

Auly cobrou 2 mil euros e após receber o dinheiro, o homem teria parado de mandar mensagens para a mulher e desapareceu. Quando percebeu o golpe, a vítima procurou a polícia. "O homem falou que não responderia mais, porque a equipe de reportagem teria o equipamento confiscado. Mas, depois, descobrimos que ele estava em uma praia", disse o delegado, via G1.

Depois de um trabalho de investigação, o idoso foi localizado no município paraense e preso. Homicídio, roubo e ameaça estão na lista das 20 passagens pela polícia acumuladas por ele. Agora, Auly vai responder por estelionato.

A polícia divulgou a foto do homem para que possíveis novas vítimas possam denunciar crimes. A defesa do suspeito preso ainda não se pronunciou.