Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Idosos

Idosos se casam em condomínio social depois de 4 meses de namoro

Os idosos de 78 e 92 anos celebraram o momento especial de maneira simples e estavam "muito emocionados"

Luisa Alves, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 03/08/2022, às 16h06

Casal de aposentados se casa em condomínio social - Reprodução/Vídeo/G1
Casal de aposentados se casa em condomínio social - Reprodução/Vídeo/G1

Em Caçu, Goiás, dois aposentados de 78 e 92 anos resolveram casar-se em um condomínio social, local onde moram. O casal namorava há 4 meses e a cerimônia de casamento ocorreu na última quinta-feira, 28.

Maria Gentil, 92, e Sebastião Valim, 78, celebraram seu amor na presença de amigos no Creas (Centro de Referência de Assistência Social). Sandra Ribeiro, a secretária municipal de Ação e Promoção Social, contou que eles queriam morar juntos, mas Sebastião pensou que isso poderia ser mau visto pela vizinhança.

Ele não queria que a mudança fosse algo de "pouca vergonha em um espaço de respeito", por isso procurou a coordenadora do Creas para oficializar a união como algo especial, com a benção da igreja.

"A coordenadora do Creas e a equipe fizeram algo simples pois não podíamos dispor de muito gasto. Organizamos de forma básica, coletamos as flores da festa do jardim e não tivemos custo com os enfeites. Foi muito lindo e o casal ficou muito emocionado", disse Sandra Ribeiro ao UOL.

Conquista pela insistência

Quando Maria e Sebastião se conheceram, ela inda era casada, mas quando se tornou viúva, ele viu a oportunidade de começar a investir na relação. Sebastião precisou insistir por muito tempo, já que segundo Sandra, a mulher tinha medo dele.

"Quando Maria ficou viúva, Valim disse que passava sempre na porta, dava uma olhada e tentava puxar uma conversa, mas ela vivia muito reclusa, dizendo que tinha medo dele", contou.

Sandra contou que Sebastião tentava puxar conversa, mas Maria recusava. Ele insistia, mas ela dizia "para ele namorar outra mulher que vivia na vizinhança", contou. "Ele passava para cá, passava para lá e sempre dizia: 'Um dia vou namorar a Maria'".

Sebastião precisou ser paciente e cauteloso para conquistar a amada, indo de pouco em pouco.

"Ele combinou com ela de fazer uma visita um dia, mas chegando lá Maria não abriu alegando que a neta estava em casa. Na outra tentativa, ele pediu para ela deixar o portão para ir lá à noite. Aí ele chegou, bateu e ela não abriu. Foi assim que começou, com as investidas dele, tentando conversar e devagarinho ela foi deixando", contou Sandra.