Notícias » Arqueologia

Imensa maloca viking é encontrada na Noruega

O local teria sido uma espécie de 'salão de eventos' para populações nórdicas do passado

Ingredi Brunato, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 20/12/2021, às 16h33

Foto do terreno onde estão enterradas as malocas identificadas por um radar geológico
Foto do terreno onde estão enterradas as malocas identificadas por um radar geológico - Divulgação/ Lars Gustavsen

Uma série de varreduras geológicas realizadas na área rural de Gjellestad, na Noruega, revelaram as ruínas de um grupo de ao menos cinco malocas nórdicas. Uma delas, em particular, impressionou por suas dimensões generosas, podendo ser uma das maiores já encontradas. 

A descoberta foi feita relativamente próxima de um navio viking encontrado sob o solo em 2018, que contou com o auxílio do mesmo potente radar de penetração do solo. A embarcação ainda está sendo analisada, porém já se sabe que ela é datada do período entre 750 a.C. e 850 a.C., o que corresponde à porção final da Idade do Ferro na região.

Atualmente, os pesquisadores estão tentando descobrir se os assentamentos são da mesma época. "Se conseguirmos datas semelhantes para as malocas recém-descobertas, podemos pelo menos presumir que Gjellestad foi um lugar importante por vários séculos", descreveu Lars Gustavsen, especialista norueguês envolvido no achado, em entrevista ao Live Science. 

Outro detalhe interessante sobre as construções é que elas não teriam sido simples habitações: 

"A interpretação mais plausível da maloca é como um edifício de salão usado para fins religiosos, sociais ou políticos, e não para ocupação humana ou animal", acrescentou o arqueólogo ainda. 

As escavações das malocas estão previstas para acontecerem durante 2022, o que poderá fornecer mais respostas a respeito do uso do local pelas populações do passado.