Notícias » Oriente Médio

Importante sítio turco de Göbekli Tepe foi construído com base em geometria, afirmam especialistas

O santuário de pedra no alto da montanha provou que os homens pré-históricos tinham maior capacidade de planejamento do espaço que se esperava

André Nogueira Publicado em 13/05/2020, às 07h00 - Atualizado às 07h33

Göbekli Tepe
Göbekli Tepe - Wikimedia Commons

Uma nova pesquisa revelou que o importante sítio pré-Histórico de Göbekli Tepe, na Turquia, utilizou de geometria para a disposição de seus elementos arquitetônico, na maioria formações redondas e pilares de calcário. Descoberto em 1994, o local é um santuário muito antigo (11 mil anos) localizado no topo de uma colina da Anatólia, e foi estudado por arqueólogos da Universidade de Tel Aviv (Israel).

De acordo com o professor Gil Haklay (Autoridade de Antiguidades de Israel) e Avi Gopher (Tel Aviv), três das estruturas redondas do sítio, com cerca de 20 metros de diâmetro, eram originalmente uma mesma construção. Para Gopher, Göbekli Tepe “apresenta enormes estruturas redondas de pedra e pilares monumentais de pedra com até 5,5 metros de altura. Como não há evidências de agricultura ou domesticação de animais na época, acredita-se que o local tenha sido construído por caçadores-coletores” (Cambridge Archeological Journal).

Esquematização elaborada por Haklay / Crédito: Universidade de Tel Aviv

 

Para os professores, ao invés de uma construção esparsa no tempo, o templo apresenta um nível de projeto relevante, com um padrão geométrico coerente. "O layout do complexo é caracterizado por hierarquias espaciais e simbólicas que refletem mudanças no mundo espiritual e na estrutura social", explica Haklay. "Em nossa pesquisa, usamos uma ferramenta analítica - um algoritmo baseado no mapeamento de desvio padrão - para identificar um padrão geométrico subjacente que regulava o design".

Para Haklay, o sítio é uma exemplificação da complexificação das capacidades práticas de planejamento dos caçadores-coletores do Oriente Próximo, além de demonstrar dinâmicas das mudanças culturais do neolítico. “Nossas descobertas sugerem que as principais transformações arquitetônicas durante esse período, como a transição para a arquitetura retangular, foram processos de cima para baixo, baseados no conhecimento, realizados por especialistas”, comenta.