Notícias » Europa

Impressionante: rosto de homem que viveu há 500 anos é reconstruído com tecnologia 3D

A equipe arqueológica acredita que o misterioso rapaz viveu durante o século 16 e tinha cerca de 40 anos de idade

Wallacy Ferrari Publicado em 16/07/2020, às 11h34

Montagem reúne as três fases da reconstrução digitalizada
Montagem reúne as três fases da reconstrução digitalizada - Dzwonowo Zaginione miasto

Em 2014, mais de 100 covas formando um cemitério medieval em uma vila perdida na Polônia chamou a atenção de pesquisadores do país durante um sobrevoo filmado com um drone. O local, na região de Wielkopolska, oeste do país, foi alvo de uma das maiores escavações já realizadas pelas instituições de arqueologia local, segundo o The First News.

Dois anos depois, quando as escavações ainda estavam sendo feitas, um crânio chamou atenção pelo estado de conservação e pelos itens próximos de seu corpo; além dos ornamentos funerários, um caixão cheio de limões impressionou a equipe, o que levou a acreditar que aquele esqueleto era um dos poucos contendo uma história por trás.

A reprodução do crânio, usada para moldar o rosto do homem / Crédito: Dzwonowo Zaginione miasto

 

Acreditando ser um artesão ou um comercial, seu corpo foi coletado para análise e escaneado até o início desse ano, quando a equipe de cientistas decidiu contar com a ajuda de escultores para reproduzir o rosto do misterioso homem. Utilizando argila e respeitando marcações ligadas ao crânio impresso em resina, o esqueleto do homem foi refeito com traços surpreendentes.

Acredita-se que o homem — que tinha aproximadamente 40 anos e viveu durante o século 16 — tinha uma testa grande, com entradas notáveis no cabelo, além de um nariz robusto e pontudo. Sua mordida alinhada resultava em uma mandíbula com traços fortes, em formato de losango. A peça ainda está sendo aperfeiçoada, mas será direcionada a um museu assim que concluir as pesquisas de datação.