Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Amber Heard

Indenização que Amber Heard terá que pagar é quase o dobro do que recebeu por ‘Aquaman’

Atriz perdeu processo movido pelo ex-marido por difamação e foi condenada a pagar elevado valor

Redação Publicado em 02/06/2022, às 09h50

Amber Heard como 'Mera' no filme 'Aquaman' - Divulgação/DC
Amber Heard como 'Mera' no filme 'Aquaman' - Divulgação/DC

Amber Heard perdeu o processo em que era acusada de difamação pelo ex-maridoJohnny Depp, após ter publicado uma carta aberta no The Washington Post em 2018 em que relatava abusos domésticos.

Inicialmente, atriz havia sido condenada pelo júri do Tribunal do Condado de Fairfax, na Virgínia, a pagar US$ 10,35 milhões em indenização ao ex-companheiro. No entanto, o valor final ficou fixado em US$ 8,35 milhões.

Embora Heard tenha sido considerada culpada de ter difamado seu último marido, Depp também deverá desembolsar US$ 2 milhões para indenizar a ex-esposa sob a mesma acusação.

O valor a ser pago pela estrela de “Aquaman” foi reduzido em decorrência do teto máximo para indenizações de caráter punitivo no estado onde o caso foi julgado; o júri havia definido US$ 10 milhões como medidas compensatórias por difamação e US$ 5 milhões como medidas punitivas, que foram reduzidas para US$ 350 mil.

Trabalhos em “Aquaman”

A indenização que Heard agora deve ao ex-marido é alta — em especial se o salário dela como atriz for levado em conta. Em seus trabalhos mais conhecidos, a artista ainda não teria recebido o suficiente para pagar o valor inteiro da condenação — na verdade, ela equivale ao dobro do seu salário nesses projetos.

Segundo o jornal O Globo, Amber recebeu US$ 2 milhões por suas atuações em “Aquaman” (2018) e mais US$ 2 milhões para a polêmica sequência do filme, “Aquaman 2: O Reino Perdido”, que deve chegar aos cinemas em 2023.

A atriz também recebeu US$ 7 milhões no acordo de separação durante o processo do divórcio com Depp em 2017, que afirmou que seria doado a instituições de defesa da mulher. No entanto, ao ser processada pelo ex-marido, disse que interromperia as doações com o intuito de pagar seus advogados de defesa.