Notícias » Coronavírus

Indígenas do México recusam vacina contra a Covid-19

A decisão foi tomada por um autogoverno indígena que as autoridades sanitárias são obrigadas a respeitar

Larissa Lopes, com supervisão de Penélope Coelho Publicado em 06/02/2021, às 09h23

Imagem meramente ilustrativa de vacinas
Imagem meramente ilustrativa de vacinas - Divulgação/Pixabay

O povoado indígena de San Juan Cancuc, no estado de Chiapas, México, recusou-se a participar da campanha de imunização contra a Covid-19 e a receber a vacina. As informações são da agência de notícias AFP.

Em carta às autoridades sanitárias, o prefeito José López afirmou que essa decisão foi constatada a partir de uma pesquisa, na qual pouco mais de 24 mil indígenas revelaram que não queriam ser vacinados. 

"Apenas duas pessoas querem receber voluntariamente a vacina", relatou um oficial na carta. López disse que uma assembleia aconteceu no dia 28 de janeiro, com o objetivo de explicar os benefícios e possíveis efeitos adversos da vacina.

O México foi o primeiro país da Amércia Latina a aplicar o imunizante contra a Covid-19, no dia 24 de dezembro, seguido por Chile e Costa Rica. 

Contudo, em povoados como San Juan Cancuc - de população tseltal maia - a maioria das decisões são tomadas por um autogoverno indígena, conhecido por “Usos e Costumes", em que as autoridades civis devem respeitar. 

Sobre a Covid-19

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, o México registra 1.912.871 casos de pessoas infectadas, e as mortes em decorrência da doença já chegam em 164.290 no país.  

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.  

De lá pra cá, a doença já infectou 105.365.928 milhões de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 2.298.188 milhão de mortes, sendo mais de 230 mil delas apenas no Brasil.