Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Indonésia

Indonésio é hospitalizado após inserir fio de nylon no pênis

O homem de 37 anos foi diagnosticado com transtorno obsessivo-compulsivo e parafilia após o caso

Redação Publicado em 15/02/2022, às 13h50

Fio de nylon utilizado pelo homem - Divulgação / Science Direct
Fio de nylon utilizado pelo homem - Divulgação / Science Direct

Um indonésio de 37 anos foi parar no hospital depois de inserir um cabo de nylon de dois metros em seu próprio pênis. O caso, que foi tema de artigo de uma revista científica, ocorreu na província de Java Oriental.

O paciente chegou na emergência da unidade de saúde reclamando de dores na parte inferior do abdômen. Após exames, os médicos constataram que ele havia inserido um fio usado na produção de bijuterias em sua uretra. As informações são do portal UOL.

De acordo com a equipe do hospital, o homem admitiu que decidiu fazer um "teste" enquanto assistia a um vídeo pornográfico. No entanto, imediatamente sentiu os efeitos do experimento ao notar presença de sangue na urina e apresentar dificuldade para fazer xixi.

"A comunicação com o paciente foi desafiadora devido à vergonha e um histórico de dificuldades de fala", relatou um documento publicado na revista Science Direct. "O paciente afirmou que foi a primeira vez que ele fez isto, apesar de se masturbar e consumir conteúdo pornográfico diariamente". De acordo com a fonte, o indonésio é um homem solteiro, sem histórico de relações sexuais e que vive com a mãe.

A princípio, os médicos inseriram um cateter para incentivar a irrigação ativa do pênis e, desta forma, auxiliar na retirada do cabo.

Contudo, o método não foi o suficiente para permitir a passagem do objeto, de modo que uma pequena cirurgia foi necessária.

O paciente foi liberado após dois dias, mas recebeu um encaminhamento psiquiátrico para uma avaliação de seus hábitos sexuais.

Ele foi diagnosticado com transtorno obsessivo-compulsivo e parafilia, que ocorre quando uma pessoa sente prazer em objetos sexuais anormais.