Notícias » Irã

Inscrições em pedras no Irã revelam existência de habitação humana há 14 mil anos

Anteriormente, a estimativa era que as primeiras civilizações com registros tenham se instalado no local há 6 mil anos

Caio Tortamano Publicado em 28/04/2020, às 06h00

Inscrições em pedras indicando vida humana
Inscrições em pedras indicando vida humana - Divulgação

Na região central do Irã, em Natanz, pesquisadores se depararam com inscrições em pedras indicando existência de vida humana na região remontando a 14 mil anos atrás — essa é a idade das manifestações artísticas, os petróglifos.

O hábito de desenhar em pedras começou ao fim do período paleolítico. Com isso, os objetos representados, assim como as ferramentas utilizadas para fazer essas inscrições, são de critério valioso para determinar o contexto por trás dos mesmos.

A descoberta de evidências que poderiam documentar a habitação humana no local no baixo paleolítico tiveram início com descobertas pontuais de cavernas habitadas. A expectativa da secretaria de turismo do Irã é que novas evidências de habitações mais antigas possam ser encontradas a partir dos petróglifos.

Antes dessa evidência, pesquisadores locais acreditavam que a civilização de Natanz datava 6 mil anos atrás, um ganho historicamente significativo. O trabalho de estudos de petróglifos em outras áreas do país, como Afushteh e Badrud ajudam na comparação de seus valores históricos para a formação populacional do país.