Notícias » Estados Unidos

Instituição filantrópica deve investir 250 milhões de dólares para “reimaginar” monumentos dos EUA

Projeto visa “celebrar e afirmar as diversas histórias da América” e contextualizar estátuas e construções que viraram alvo de debates públicos

Fabio Previdelli Publicado em 05/10/2020, às 12h31

Estátua de Colombo que foi vandalizada nos EUA
Estátua de Colombo que foi vandalizada nos EUA - Divulgação/ Twitter

Uma das maiores instituições filantrópicas da América anunciou que iniciará um projeto para “reimaginar” monumentos públicos em todo o país. De acordo com a BBC, a Fundação Andrew W Mellon pretende desembolsar 250 milhões de dólares (algo próximo dos 1.4 bi de reais) para construir e realocar monumentos, além de acrescentar um contexto e explicar o significado e o motivo daquelas estátuas estarem em seus respectivos locais.

A iniciativa surge em meio a um intenso debate público, desencadeado pelo movimento Black Lives Matter, sobre monumentos supremacistas presentes nos Estados Unidos. O intuito do projeto é de “celebrar e afirmar as diversas histórias da América”.

Para isso, a instituição disse que o projeto é resultado de “anos de discussão e pesquisa”. A Andrew W Mellon já gastou mais de 25 milhões de dólares em projetos relacionados a monumentos nos últimos dois anos. Em uma delas, o Memorial Nacional pela Paz e Justiça em Montgomery, Alabama, que é dedicado a escravos e vítimas de linchamentos, recebeu mais de 5 milhões.

"A beleza dos monumentos como rubrica é, na verdade, uma maneira de perguntar: 'Como dizemos quem somos? Como ensinamos nossa história em lugares públicos?'", Disse Elizabeth Alexander, presidente da fundação, falando com o New York Times. “Queremos perguntar como podemos ajudar a pensar sobre como dar forma à bela, extraordinária e poderosa multiplicidade das histórias americanas”.

O projeto não abrangerá apenas memoriais e estátuas, mas também ajudará em “espaços para contar histórias”, como museus e instalações de arte. A primeira doação será de 4 milhões de dólares, que será destinada ao Monument Lab — um estúdio público de arte e história na Filadélfia que visa "reimaginar espaços públicos por meio de histórias de justiça social e equidade".