Notícias » Arqueologia

Intrigante camurça mumificada de 400 anos pode ajudar cientistas em pesquisas

Por ter apenas 400 anos, o animal ainda tem seu DNA intacto, permitindo o estudo único

Ingredi Brunato Publicado em 05/09/2020, às 10h52

Camurça mumificada após ser retirada da neve.
Camurça mumificada após ser retirada da neve. - Divulgação/ Exército Italiano – Comando Truppe Alpine

Uma cabra-antílope (também conhecida como camurça) mumificada foi descoberta no norte da Itália. O espécime, que foi encontrado em meio à neve por um caçador, a uma altitude de 3.200 metros, tem aproximadamente 400 anos de idade. 

O animal, que tem o DNA ainda intacto, será utilizado para experimentos a respeito das alterações que o genoma sofre quando suas condições externas são mudadas. Em geral, múmias costumam ter muito pouco de material genético ainda passível de testes, de forma que os cientistas precisam ser muito seletivos com a forma que eles irão usar esse material. 

“Nosso objetivo é usar dados científicos para desenvolver um protocolo de conservação válido globalmente para múmias congeladas. Esta é a primeira vez que uma múmia animal é usada dessa forma”, explicou Albert Zink, diretor do Instituto de Estudos de Múmias da Eurac Research, que está envolvido na pesquisa. 

O derretimento das geleira tem feito com que cada vez mais achados desse tipo sejam revelados pelo gelo em recuo. Com o avanço do trabalho desses pesquisadores, será possível aos cientistas fazerem testes em espécimes mumificados com mais confiança do que devem evitar para não estragar as limitadas amostras de DNA.