Notícias » Mundo

Investigação expõe esforços russos de disseminação de fake news a respeito da vacina Sputnik V

Contas russas, envolvidas no espalhamento de desinformação, ainda difamaram outras vacinas

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 08/02/2021, às 15h26

Fotografia ilustrativa de homem durante pandemia
Fotografia ilustrativa de homem durante pandemia - Divulgação/Pixabay

Segundo divulgado pelo New York Times, agências de comunicação russas estão espalhando fake news a respeito da eficácia da Sputnik V, vacina contra o Coronavírus desenvolvida pelo país.

A conclusão preocupante foi alcançada após uma investigação do  Departamento de Estado dos EUA. 

Outro detalhe é que essas notícias falsas têm como alvo países de língua espanhola da América Latina, especificamente.

De acordo com a investigação, uma das possíveis motivações para o ato seria impulsionar a venda do imunizante para esses locais. 

A ação de desinformação ocorreu principalmente nas plataformas do Facebook e do Twitter.

Além da autopromoção, as contas russas produzindo fake news também têm feito ataques aos imunizantes ocidentais, como a Pfizer. 

"Trata-se de um esforço coordenado que em parte é uma campanha de relações públicas e em parte desinformação. É uma das mais vastas operações que já vimos para promover uma narrativa em torno da vacina na América Latina e parece que tem tido efeito", explicou o pesquisador Jaime Longoria em entrevista ao veículo norte-americano. 

Segundo outro especialista ouvido pelo New York Times, chamado Bret Schafer, que monitora a disseminação de informações falsas na Rússia, “quase tudo” entre o que é divulgado a respeito da Sputnik V está sendo "manipulado ou fora de contexto".