Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Mundo

Esquema de eleitores falsos para Trump em 2020 é apontado por investigação

Maior investigação da história do Departamento de Justiça preocupa republicanos

Redação Publicado em 08/06/2022, às 08h02

Ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump - Getty Images
Ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump - Getty Images

Por meio de um e-mail, vários republicanos foram convocados a se reunirem em segredo e ocultarem os objetivos do encontro. Segundo um relatório do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a mensagem explicava uma série de ações a serem seguidas pelos políticos , que culminaria na criação de falsos eleitores de Trump para que o político ganhasse as eleições no estado norte-americano Geórgia, conforme a CNN.

O achado faz parte de uma série de ações do Departamento de Justiça dos EUA, focada em entender como o grupo político trabalhava com os “eleitores falsos” nos estados em que o ex-presidente perdeu para Joe Biden. O esquema pode ser considerado como crime perante a democracia.

A campanha de Trump, através de Robert Sinners, líder de operações da campanha no dia da eleição na Geórgia, pediu a um grupo de eleitores do estado que se reunissem em segredo para discutir o caso. A ideia seria se infiltrarem no Colégio Eleitoral para assinarem uma declaração de voto no republicano.

Em 2021 foi descoberto pelo jornal Washington Post um áudio em que Donald pressionava o secretário de Estado da Geórgia, Brad Raffensperger, a buscar mais votos para ele.

Ainda foi descoberto pelos jornais que o republicano fazia a mesma pressão com outros setes líderes estatais e levantava a pauta das eleições fraudadas em regiões que perdia por uma grande margem para Biden.

Investigações ao redor de Trump só aumentam

Ainda em maio, um júri federal intimou diversos republicanos a entregarem documentos a respeito das votações em 2020, enquanto o FBI segue interrogando testemunhas sobre o caso de eleitores falsos do líder republicano.

Essa já é considerada a maior investigação da história do Departamento de Justiça, se considerado o episódio do Capitólio, quando manifestantes pró-Trump invadiram o Congresso dos EUA em 6 de janeiro de 2021. O ocorrido resultou em 5 mortes.