Notícias » Brasil

Isolados por covid-19, passageiros relatam desespero em navio

"As pessoas começaram a ficar nervosas, vários princípios de tumulto", diz passageira do MSC Splendida

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 03/01/2022, às 14h50

Imagens dos passageiros dentro do cruzeiro isolado, MSC Splendida
Imagens dos passageiros dentro do cruzeiro isolado, MSC Splendida - Divulgação / Arquivo Pessoal

No final de dezembro, o cruzeiro MSC Splendida ganhous os noticiários devido ao surto de Covid-19 que foi registrado dentro da embarcação — que deveria levar os passageiros de Santos (SP) até Balneário Camboriú, em Santa Catarina.

Porém, segundo decisão da Anvisa, concedida no domingo passado, 2, o navio não pode continuar viagem e está atracado no litoral paulista desde então. No entanto, os mais de 2.000 passageiros continuam dentro do MSC Splendida até que a contaminação geral seja controlada.

Até agora, 2.073 pessoas já foram testadas e somente 25 delas haviam contraído o coronavírus. Mas ainda não há informações sobre como a liberação dos passageiros acontecerá.

Enquanto isto, as pessoas que estão dentro do navio estão tentando manter-se sãs neste momento de desespero, embora alguns episódio não tenham ajudado com isso, o que resultou em um pânico geral.

Segundo o relato da passageira Danielle Lima da Silva, originária do município de Jundiaí, no interior de São Paulo, diversos conflitos surgiram, inclusive em relação a alimentação dos tripulantes.

"Tinha muita gente sentada no chão, bebês deitados no caminho. As comidas da lanchonete acabaram por volta de 17h30. As pessoas começaram a ficar nervosas, vários princípios de tumulto. Muita gente implorando por um pedaço de pizza", contou.

Os presentes no MSC Splendida já fizeram diversas reclamações com a empresa nas redes sociais, afirmando que há uma falta completa de informações necessárias, descuido com os passageiros não-infectados e tratamento bruto de todos os que embarcaram. As informações são do portal Yahoo! Notícias.