Notícias » Período Neolítico

Máscara de pedra de 9.000 anos, uma das mais antigas do mundo, é encontrada na Cisjordânia

Só existem outras 15 da mesma datação e do mesmo estilo desta – e a última havia sido encontrada 35 anos atrás

Mariana Ribas Publicado em 29/11/2018, às 12h48 - Atualizado em 30/11/2018, às 08h11

Entenda
Entenda - AFP/Getty Images

A Autoridade de Antiguidades de Israel (AAI) encontrou na Cisjordânia uma das máscaras mais antigas do mundo. Ela tem 9.000 anos e é feita de arenito, um tipo de rocha sedimentar. Ela se sobrepõe perfeitamente a um rosto adulto e tem furos nas laterais, sinal de que poderia ser pendurada em postas ou mesmo colocada sobre a face.

A relíquia foi encontrada em um campo judaico na cidade de Ma'ale Hever, que foi ocupada por Israel. “A máscara é muito naturalista. Você pode ver as maçãs do rosto, pode ver um nariz perfeito”, afirmou o arqueólogo da AAI, Ronit Lupu. O pesquisador acredita que o processo de criação do objeto fizesse parte de um ritual de adoração ancestral.

Mascara encontrada em Israel que é uma das únicas quinze que foram encontradas no mundoAFP/Getty Images

Lupu argumentou sobre a importância do objeto, que está entre apenas outras 15 máscaras parecidas no mundo todo: "É uma máscara rara. A última que conhecemos foi encontrada há 35 anos. É um achado surpreendente, arqueologicamente falando”.

Em um comunicado para a imprensa, ele afirma: "As máscaras de pedra estão ligadas à revolução agrícola. A transição de uma economia baseada na caça e na coleta para a agricultura antiga e a domesticação de plantas e animais foi acompanhada por uma mudança na estrutura social e um aumento acentuado nas atividades religiosas".

Mascara encontrada em Israel que é uma das únicas quinze que foram encontradas no mundoAFP/Getty Images

Mascara encontrada em Israel que é uma das únicas quinze que foram encontradas no mundoAFP/Getty Images