Notícias » Arqueologia

Israel: Pesquisadores descobrem espécie até então desconhecida de ancestral humano

Para os especialistas, o achado ajuda a entender melhor sobre a evolução humana e sobre os neandertais. Confira!

Penélope Coelho Publicado em 25/06/2021, às 09h52

Crânio e mandíbula de ancestral humano encontrados em Israel
Crânio e mandíbula de ancestral humano encontrados em Israel - Divulgação/Avi Levin/ Ilan Theiler

De acordo com informações da BBC, publicadas nesta sexta-feira, 25, pelo G1, pesquisadores identificaram uma nova espécie de humanos antigos. Os estudiosos encontraram os restos mortais durante uma escavação em Ramla, Israel. A pesquisa foi publicada na revista científica Science.

Segundo revelado na reportagem, após diversas análises, em restos de crânio e mandíbula, os especialistas concluíram que o achado representa um dos “últimos sobreviventes” de um grupo humano muito antigo, que viveu há 140/120 mil anos e até então era desconhecido.

Escavação em Ramla, Israel / Crédito: Divulgação/ Yossi Zaidner

 

Para os pesquisadores, o sujeito era descendente de uma espécie antiga que pode ter originado os neandertais na Europa e na Ásia. A equipe envolvida na descoberta nomeou a nova linhagem de “Homo de Nesher Ramla”.

A recente descoberta foi considerada de extrema importância, de acordo com a pesquisadora Universidade de Tel Aviv, Hila May, o achado ajuda a reformular a história da evolução humana, mais especificamente dos neandertais, a fim de desvendar os mistérios desse antigo cenário.

Confira a pesquisa completa aqui.


Sobre arqueologia

Descobertas arqueológicas milenares sempre impressionam, pois, além de revelar objetos inestimáveis, elas também, de certa forma, nos ensinam sobre como tal sociedade estudada se desenvolveu e se consolidou ao longo da história. 

Sem dúvida nenhuma, uma das que mais chamam a atenção ainda hoje é a dos egípcios antigos. Permeados por crendices em supostas maldições e pela completa admiração em grandes figuras como Cleópatra e Tutancâmon, o Egito gera curiosidade por ser berço de uma das civilizações que foram uma das bases da história humana e, principalmente, pelos diversos achados de pesquisadores e arqueólogos nas últimas décadas.