Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Arte

Itália: Suposta cópia de ‘Mona Lisa’ é localizada

A peça, que faz parte do acervo da Câmara dos Deputados italiano, virou motivo de controvérsias entre especialistas

Fabio Previdelli Publicado em 19/02/2022, às 10h01

Mona Lisa, a mais conhecida obra de Leonardo da Vinci - Galerie de tableaux en très haute définition via Wikimedia Commons
Mona Lisa, a mais conhecida obra de Leonardo da Vinci - Galerie de tableaux en très haute définition via Wikimedia Commons

Na última sexta-feira, 18, o comissário da Câmara dos Deputados da Itália, Francesco D’Uva, informou que uma cópia da célebre Mona Lisa, de Leonardo Da Vinci, foi encontrada no depósito do Palácio Montecitório, sede da Câmara. 

De acordo com D’Uva, a obra é “uma cópia do quadro do Louvre, feita pela oficina de Leonardo, talvez até com sua colaboração”, conforme relatou o jornal italiano La Repubblica. 

A publicação ainda informou que análises feitas no quadro, após sua descoberta e durante seu restauro, teriam evidenciado que a pintura foi feita antes da metade dos anos 1500. Importante ressaltar que a Mona Lisa foi iniciada por Da Vinci em 1503, sendo que sua finalização deve ter ocorrido entre três ou quatro anos depois. 

Apesar das falas do comissário, o valor histórico da pintura é debatido por especialistas da área. Segundo os historiadores de arte Antonio e Maria Forcellino, o quadro é uma “cópia que aspira replicar perfeitamente o seu modelo”.

Além do mais, a dupla aponta que a obra possui uma  “técnica de pintura muito refinada, o que faz pensar que o próprio Leonardo tenha colocado as mãos para definir o contraste claro e escuro do rosto”, informou a agência ANSA. 

Entretanto, Vittorio Sgarbi, historiador e crítico de arte, não enxerga a pintura da mesma forma. Segundo sua análise, a peça é apenas “uma modesta pintura encomendada” baseada no quadro de Da Vinci

A cópia de Leonardo foi pintada, ao menos, 70 anos depois de sua morte, não tem valor artístico e indica só a fortuna da época, como as inúmeras cópias de grandes mestres", declarou. 

Tendo o toque de Leonardo Da Vinci, ou não, o fato é que a pintura faz parte dos itens que foram doados pela Galeria Nacional de Arte Antiga do Palácio Barberini ao Montecitório no ano de 1925.