Notícias » Entretenimento

Itaú Cultural Play disponibiliza programação de filmes da 7ª Mostra Ciranda de Filmes que homenageia Paulo Freire

Programação tem foco no centenário do educador Paulo Freire

Redação Publicado em 23/11/2021, às 10h15

Cena do filme Central do Brasil (1998)
Cena do filme Central do Brasil (1998) - Divulgação/VideoFilmes

Durante 15 dias, a plataforma de streaming Itaú Cultural Play é a escolhida para exibir os filmes selecionados pela curadoria da mostra, cuja programação tem foco no centenário do educador Paulo Freire, homenageado na Ocupação em cartaz no IC até o dia 30 de janeiro, e se desdobra em produções que refletem as práticas de troca e aprendizagem ensinadas por ele.

Entre elas, Central do Brasil, longa-metragem que representou o Brasil no Oscar e ganhou o Urso de Ouro em Berlim; Yaõkwá: imagem e memória, documentário indígena de Rita e Vincent Carelli, Mutum, de Sandra Kogut e os documentários Pro dia nascer feliz e Atravessa a vida, ambos de João Jardim

Entre 26 de novembro e 10 de dezembro, a plataforma de streaming do cinema e audiovisual brasileiro Itaú Cultural Play, disponível gratuitamente em www.itauculturalplay.com.br e nos dispositivos Android e IOS, é a única que exibirá a programação completa de filmes da 7ª Mostra Ciranda de Filmes.

São 19 produções que homenageiam o patrono da educação brasileira Paulo Freire, promovem novos diálogos sobre a educação e a juventude no país e ampliam a percepção sobre as diversas conexões com os possíveis e incontáveis legados deixados pelo educador – cujo centenário também é celebrado na Ocupação Paulo Freire, presencialmente no Itaú Cultural, mostra que teve o encerramento prorrogado até 30 de janeiro devido às grandes filas que se formam para vê-la. A vida e obra do educador também pode ser conhecida no hotsite da exposição.

Considerada uma das mais importantes produções do cinema brasileiro, o filme Central do Brasil, de Walter Salles, é exibido excepcionalmente por 24h na plataforma Itaú Cultural Play, entre os dias 4 e 5 de dezembro.

O longa-metragem conquistou o Urso de Ouro do Festival de Berlim, um dos mais importantes prêmios de cinema do mundo, e foi indicado ao Oscar em 1999, pelas categorias Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Atriz para Fernanda Montenegro.

A história gira em torno de Dora, uma professora aposentada que trabalha como escritora de cartas para pessoas analfabetas na Estação Central do Brasil, no Rio de Janeiro. Contra a sua vontade, ela acaba acolhendo Josué, um garoto cuja mãe morreu atropelada por um ônibus, e o ajuda a encontrar o seu pai nos confins do Nordeste. Os dois, muito diferentes um do outro, se aproximam à medida que viajam país adentro. 

Paulo Freire

Três documentários abordam as nuances da educação brasileira da atualidade, retratando e refletindo sobre os desafios e as ações de sucesso deixadas por Freire. São eles Pro dia nascer feliz e Atravessa a vida, ambos de João Jardim, e o mais recente lançamento de Alexandre Carvalho: A quem interessa a ignorância?

Seguindo o tema da educação inclusiva, o filme Utopia Distopia, dirigido por Jorge Bodanzky, visita um projeto de educação universitária em Brasília, nos anos 1960, sonhado por Freire e seus companheiros e igualmente educadores visionários, Anísio Teixeira e Darcy Ribeiro. Em Fonemas da Liberdade, a cineasta Catherine Murphy se debruça sobre os primeiros trabalhos do educador na região Nordeste.

Outros destaques

Destacam-se, também, Filho de boi, novo filme de Haroldo Borges; a poesia imagética em forma de animação em O menino que engoliu o sol, de Patricia Alves Dias, e os documentários Entremarés, de Anna Andrade, Chão, de Camila Freita, e Meu nome é Daniel, dirigido por Daniel Gonçalves.

A seleção disponível na plataforma tem ainda Yaõkwá: imagem e memória, documentário indígena de Rita Carelli e Vincent Carelli; Você não sabia de mim, do diretor Alan Minas, Mutum, de Sandra Kogut e Infância falada, da dupla Hermílio Santos e Kamila Almeida.

A programação é completada com os curtas Eu preciso destas palavras escritas, da diretora Milena Manfredini, e A sússia, de Lucrécia Dias, e dos documentários Augusto Boal e o Teatro do Oprimido, de Zelito Viana, e 5 vezes Chico - O velho e sua gente, dirigido pelo quinteto: Gustavo Spolidoro, Ana Rieper, Camilo Cavalcante, Eduardo Goldenstein e Eduardo Nunes 

Ocupação em cartaz

O encerramento da Ocupação Paulo Freire, mostra presencial no Itaú Cultural, foi prorrogada até 30 de janeiro.  Dedicada ao patrono da educação brasileira, ela mergulha em sua trajetória desde o nascimento no Recife, em 1921, até a morte em São Paulo, em 1997.

A infância, o desenvolvimento intelectual, a experiência em Angicos – onde aplicou o método de alfabetização reconhecido em todo o mundo –, seu exílio forçado e o retorno ao Brasil traçam a linha contínua e coerente de sua existência apresentada na exposição. 

Mostra Ciranda de Filmes

A Ciranda nasceu em 2014, como a primeira Mostra de Cinema focada em educação e infância do Brasil. Correalizado pelo Alana, Circuito Cinearte e Aiuê Produtora de Conteúdo, o evento, que contou com o patrocínio Itaú Cultural em sua segunda edição, em 2015, exibe gratuitamente produções cinematográficas, promove rodas de conversa, vivências lúdicas e oficinas cinematográficas. Toda sua programação tem três temas como fio condutor: famílias, relação criança e natureza e protagonismo infantil.

Sobre a Itaú Cultural Play

Lançada em 19 de junho, dia da celebração do cinema brasileiro, a Itaú Cultural Play começou com um catálogo formado por 135 títulos dos 26 estados brasileiros e o Distrito Federal. Constantemente ampliado desde então, já ultrapassou a marca de 200 filmes disponíveis, entre ficção, documentários, séries documentais e de ficção, animações para crianças e para adultos, produções experimentais, entrevistas, palestras, curtas e longas-metragens.

Com acesso gratuito, a plataforma de streaming de cinema brasileiro é acessível para dispositivos móveis IOS e Android, e pode ser acessada pelo site itauculturalplay.com.br.

SERVIÇO:

Itaú Cultural Play – Mostra Ciranda de Filmes

De 26 de novembro a 10 de dezembro de 2021

Em www.itauculturalplay.com.br

Yaõkwá: imagem e memória (2000, documentário, Mato Grosso, 21 min) 

Direção: Rita Carelli e Vincent Carelli 

Classificação indicativa: livre (nudez não erótica) 

Você não sabia de mim (2021, documentário, Rio de Janeiro, 78 min) 

Direção: Alan Minas 

Classificação indicativa: 12 anos (temas sensíveis) 

Utopia distopia (2020, documentário, Distrito Federal, 72 min) 

Direção: Jorge Bodanzky 

Classificação indicativa: livre 

Pro dia nascer feliz (2005, documentário, Rio de Janeiro, 89 min) 

Direção: João Jardim 

Classificação indicativa: livre 

O menino que engoliu o sol (2020, animação, Rio de Janeiro, 22 min) 

Direção: Patrícia Alves Dias 

Classificação indicativa: livre 

Mutum (2007, drama, Rio de Janeiro, 95 min) 

Direção: Sandra Kogut 

Classificação indicativa: livre 

Meu nome é Daniel (2018, documentário, Rio de Janeiro, 83 min) 

Direção: Daniel Gonçalves 

Classificação indicativa: livre 

Infância falada (2016, documentário, Rio Grande do Sul, 54 min) 

Direção: Hermílio Santos e Kamila Almeida 

Classificação indicativa: 12 anos (violência) 

Fonemas da liberdade (2021, documentário, Rio Grande do Norte, 28 min) 

Direção: Catherine Murphy 

Classificação indicativa: 12 anos (violência) 

Eu preciso destas palavras escrita (2017, experimental, Rio de Janeiro, 19 min) 

Direção: Milena Manfredini 

Classificação indicativa: 10 anos (medo e tensão) 

Entremarés (2018, documentário, Pernambuco, 20 min) 

Direção: Anna Andrade 

Classificação indicativa: 12 anos (drogas lícitas) 

Augusto Boal e o Teatro do Oprimido (2010, documentário, Rio de Janeiro, 62 min) 

Direção: Zelito Viana 

Classificação indicativa: 12 anos (drogas lícitas, linguagem depreciativa e descrição de violência) 

Atravessa a vida (2020, documentário, Rio de Janeiro, 83 min) 

Direção: João Jardim 

Classificação indicativa: 12 anos (linguagem imprópria, temas sensíveis, violência) 

A sússia (2018, documentário, Tocantins, 17 min) 

Direção: Lucrécia Dias 

Classificação indicativa: livre 

A quem interessa a ignorância? (2021, documentário, Tocantins, 17 min) 

Direção: Alexandre Carvalho 

Classificação indicativa: 12 anos (violência) 

5 vezes Chico - O velho e sua gente (2015, documentário, Rio de Janeiro, 90 min) 

Direção: Gustavo Spolidoro, Ana Rieper, Camilo Cavalcante, Eduardo Goldenstein e Eduardo Nunes 

Classificação indicativa: 10 anos (violência e drogas lícitas) 

Filho de boi (2019, drama, Bahia, 91 min) 

Direção: Haroldo Borges e Ernesto Molinero 

Classificação indicativa: 12 anos (presença de sangue e linguagem chula) 

*Disponível por 24h - das 19h de 27 de novembro até as 19h de 28 de novembro 

Chão (2021, documentário, Rio de Janeiro, 112 min) 

Direção: Camila Freitas 

Classificação indicativa: 10 anos (drogas lícitas) 

*Disponível por cinco dias – das 19h de 3 de dezembro até as 19h de 8 de dezembro 

Central do Brasil (1998, drama, Rio de Janeiro, 107 min) 

Direção: Walter Salles 

Classificação indicativa: 12 anos (violência e drogas lícitas) 

*Disponível por 24h - das 19h de 4 de dezembro até as 19h de 5 de novembro