Notícias » China

Jack Ma, um dos maiores empresários da China, não é visto há meses

Fundador de uma gigante da tecnologia, o bilionário desapareceu após fazer críticas ao governo chinês durante uma conferência

Pamela Malva Publicado em 05/01/2021, às 16h00

Fotografia do empresário chinês Jack Ma
Fotografia do empresário chinês Jack Ma - Divulgação/Youtube

O sumiço de Jack Ma, um dos maiores empresários da China, está abalando o mercado do país. Conhecido como o cofundador bilionário da Alibaba Group, um verdadeiro império da tecnologia, o homem não é visto desde outubro de 2020.

Sua última aparição nas redes sociais, por exemplo, foi na rede social chinesa Weibo, no dia 17 de outubro. Depois disso, ele sequer apareceu no episódio final do Africa's Business Heroes, um reality show de empreendedores que o próprio Jack Ma criou.

Na segunda-feira, dia 04 de janeiro de 2021, o Alibaba comentou o ocorrido em entrevista à CNN Business. Segundo o grupo, o bilionário perdeu "a final devido a um conflito de agendas". Esse foi o único pronunciamento da empresa sobre a questão.

O problema é que o desaparecimento de Jack Ma pode representar uma questão muito maior do que parece. Isso porque, em outubro, o empresário anunciou que guiaria o Ant Group, afiliada financeira do Alibaba, até o mercado de ações.

Fotografia de Jack Ma durante evento / Crédito: Wikimedia Commons

 

Se a estreia realmente tivesse acontecido, Ma se tornaria o empresário mais rico e influente da China. Assim, aproveitando sua fama, ele criticou o sistema regulatório chinês durante uma conferência em Xangai, afirmando que o medo de supostos riscos pode sufocar a inovação. "Não há inovação sem riscos no mundo", disse, na ocasião.

Em resposta ao posicionamento do empresário, uma investigação contra o Alibaba foi anunciada por reguladores chineses, que acusavam o grupo de atividades monopolistas. Ainda mais, o governo exigiu que o Ant Group reduzisse suas operações.

Para muitos, então, o desaparecimento de Jack Ma pode representar a gigante Pequim colocando seu poder e influência em ação. A agência Bloomberg, por exemplo, afirma que o governo "perdeu a paciência com Ma". Seu paradeiro, então, segue um mistério.