Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Japão

Japão já manteve estação de trem funcionando para uma única pessoa

Episódio fez com que a população celebrasse o governo do país

Isabela Barreiros Publicado em 02/07/2022, às 08h00

Garota na estação de trem Kyu-Shirataki, em Engaru, no Japão - Divulgação/Twitter/@foxnumber6
Garota na estação de trem Kyu-Shirataki, em Engaru, no Japão - Divulgação/Twitter/@foxnumber6

Imagine um filme de Hayao Miyazaki — conhecido por suas histórias inesperadas e tranquilas com cenário no Japão, como “A Viagem de Chihiro” (2001) ou “Meu Amigo Totoro” (1998) — em que uma estação de trem funciona apenas para uma pessoa.

A trama se encaixaria perfeitamente para uma das animações do cineasta japonês, mas não se trata de ficção: isso realmente aconteceu, durante anos, com uma estudante colegial e a estação Kyu-Shirataki.

Situada na cidade japonesa de Engaru, na zona rural que compõe a ilha de Hokkaido, a estação de trem era subutilizada, mas foi mantida aberta pela Japan Railways, que opera a rede ferroviária do país, por mais um período após pedidos da população local.

A região havia perdido cerca de 20 linhas ferroviárias nas últimas décadas até 2016, como relatou a revista Fortune, em decorrência da localização remota, o que vinha causando o desaparecimento das ferrovias rurais do Japão.

Assim como o número de passageiros da estação Kyu-Shirataki e algumas vizinhas havia diminuído drasticamente nos últimos anos, as regiões também perderam o serviço de frete por estarem situadas em um território bastante afastado.

No entanto, os estudantes que moravam nessas regiões remotas ainda dependiam do trem para irem até os colégios onde estudavam, o que levou pais a tentarem comover a empresa para suas demandas, pedindo que mantivessem a estação aberta para seus filhos.

E funcionou: a estação de trem Kyu-Shirataki funcionou ao longo de anos para apenas uma garota. Os trens passavam no local apenas algumas vezes por dia: uma vez quando buscavam a estudante para ir à escola e ainda algumas vezes depois que o dia escolar terminava.

Apenas uma passageira

A decisão da Japan Railways definiu que a estação funcionaria para sua única passageira, que usava a linha regularmente a caminho da aula, até que a garota se formasse, coincidindo com o término do ano fiscal da empresa, em março de 2016, segundo a CCTV News.

O fato de que a estação continuou em operação por um bom motivo fez com que a população celebrasse o governo japonês por fazer da educação uma prioridade, mesmo dos estudantes que vivem nas áreas mais remotas do país.

Nos comentários do Facebook da CCTV, um internauta escreveu na época: “Este é o significado da boa governança penetrando até o nível de base. Todo cidadão importa. Nenhuma criança deixada para trás!"

No entanto, outros lamentaram o abandono às ferrovias rurais japonesas em contraposição aos trens de alta velocidade altamente eficientes que continuam a se espalhar pelo país, tornando as antigas, muitas vezes, obsoletas por sua baixa tecnologia e esquecidas por estarem distantes dos centros populacionais.

Ainda assim, a história da jovem estudante que dependia dos trens que passavam em uma antiga estação de trem que funcionou por anos só para ela mostrou a importância dessas ferrovias mesmo durante seu período de abandono e serviu como um incentivo aos estudos da garota.