Notícias » Brasil

Após 200 denúncias de abuso sexual, João de Deus é condenado a quase 20 anos de prisão

O autointitulado médium estava preso desde dezembro de 2018 em Goiânia e foi sentenciado ao regime fechado

Isabela Barreiros Publicado em 19/12/2019, às 18h08

O médium João de Deus
O médium João de Deus - Wikimedia Commons

João Teixeira de Faria, mais conhecido como João de Deus, foi sentenciado a 19 anos e quatro meses de prisão após mais de 200 denúncias de abuso sexual. O autointitulado médium foi condenado por quatro crimes cometidos em Abadiânia, em Goiás.

A pena diz respeito aos delitos de agressão sexual durante seus atendimentos espirituais, dois por violação mediante fraude e os restantes por estupro de vulnerável.

O líder espiritual está preso no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, em Goiás, desde 16 de dezembro de 2018. O confinamento aconteceu quatro dias depois do Ministério Público do estado solicitar sua prisão preventiva sob alegação de estupro por centenas de mulheres que passaram por suas consultas.

Por conta do grande número de denúncias contra João de Deus, o MP criou uma força-tarefa para lidar com o caso. Isso também foi usado como argumento para a defesa do médium, que atestou que a pena "estaria fundamentada apenas no clamor público e no abalo à paz e à tranquilidade pela eventual soltura".