Notícias » Estados Unidos

Joe Biden afirma que a vacina contra o novo coronavírus não será obrigatória nos EUA

Contudo, o presidente eleito disse que fará de tudo para ‘incentivar as pessoas a fazerem a coisa certa’

Redação Publicado em 05/12/2020, às 10h45

Fotografia de Joe Biden
Fotografia de Joe Biden - Wikimedia Commons

De acordo com reportagem publicada na última sexta-feira, 4, pela BBC, o presidente eleito Joe Biden informou que quando a vacina contra o novo coronavírus estiver pronta, a população não será obrigada a se vacinar nos Estados Unidos.

O político reiterou a importância da imunização e também pediu para que os norte-americanos façam o uso universal da máscara em ambientes fechados. “Como presidente, farei tudo ao meu alcance para incentivar as pessoas a fazerem a coisa certa e, quando o fizerem, demonstrarei que isso é importante”, afirmou Biden.

Através de suas redes sociais, o presidente eleito — que tomará posse em 20 de janeiro — disse que quando a vacina for aprovada, ele e sua vice Kamala Harris irão assegurar uma distribuição "igualitária, eficiente e livre de custos" para a população norte-americana.

Segundo as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, os Estados Unidos apresentam um aumento significativo de transmissão do novo coronavírus, com 14.446.183 casos de infecção pela Covid-19. De acordo com os registros, 279.012 mil pessoas faleceram em decorrência da doença no país.

Sobre Joe Biden

Nascido em 20 de novembro de 1942, Joseph Robinette, chamado popularmente de JoeBiden, é um político e advogado norte-americano. Em novembro de 2020, o homem foi eleito presidente dos EUA e sua posse está marcada para acontecer em 20 de janeiro de 2021.

Filiado ao Partido Democrata, Biden foi vice-presidente dos Estados Unidos durante o governo de Barack Obama, de 2008 a 2017, entregando o cargo para Mike Pence, vice de Trump, em 20 de janeiro de 2017. Atualmente, aos 78 anos, Joe será o mais velho a assumir o cargo de presidente dos Estados Unidos.