Notícias » Rússia x Ucrânia

Jogador de futebol brasileiro foge a pé da Ucrânia

Edson Fernando, originário de Natal (RN), está acompanhado de colegas de time e família em seu caminho para a Polônia

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 25/02/2022, às 15h29

O jogador Edson Fernando e o grupo com quem faz essa jornada
O jogador Edson Fernando e o grupo com quem faz essa jornada - Divulgação / Arquivo Pessoal

Após orientação da Embaixada do Brasil em Kiev, capital ucraniana, de que brasileiros, que consigam, desloquem-se por meios próprios para sair do país, o jogador de futebol Edson Fernando, de Natal, no Rio Grande do Norte, deixou a cidade de Lviv e, junto a colegas de time e familiares, dirigiu-se à Polônia.

Fernando foi contratado pelo time Rukh Lviv recentemente, entretanto, depois da notícia da invasão militar russa em terras ucranianas, o brasileiro está dedicado, como muitos outros, a sair da Ucrânia. Devido ao trânsito intenso e as dificuldades nas estradas, o jogador decidiu ir a pé para a Polônia.

De acordo com a cobertura do portal de notícias G1, Edson Fernando conversou com a mídia brasileira por volta das 7hrs da manhã, nesta sexta-feira, 25, e revelou que já estavam caminhando há quase uma hora. Segundo o Google Maps, a distância que eles devem cruzar é de 70 a 100 quilômetros, por volta de 15 horas a pé.

Estamos próximos da fronteira, mas indo a pé, porque os carros não andam, não saem do lugar, muito carro, situação tensa. Estamos caminhando há cerca de 40 minutos", afirmou.

O jogador de 23 anos também relatou que a sua trupe foi parada pelos militares ucranianos e questionados sobre sua nacionalidade, pois, estavam procurando por nativos da Ucrânia tentando fugir do país.

Porém, após verificação do passaporte, o grupo seguiu com malas, carrinho de bebê e até muletas, já que um deles estava machucado.

Depois disso, eles contrataram um motorista de van para levar Edson Fernando e as pessoas que o acompanham para o mais perto da fronteira o possível, especialmente levando em conta o tráfico para fora da Ucrânia.

O cara está levando a gente agora para o mais próximo [da fronteira com a Polônia], mas ainda tem muitas pessoas caminhando", narrou.