Notícias » História

Joias raras contrabandeadas durante a Revolução Russa, em 1917, serão leiloadas na Suíça

Brincos, anéis e um broche da duquesa Maria Pavlovna serão colocados à venda na próxima quarta-feira, 10

Paola Orlovas, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 08/11/2021, às 11h00

Maria Pavlovna e seu marido, Vladimir Alexandrovich da Rússia, tio do czar Nicolau II
Maria Pavlovna e seu marido, Vladimir Alexandrovich da Rússia, tio do czar Nicolau II - Wikimedia Commons

Joias raras da duquesa Maria Pavlovna, tia do último czar russo, Nicolau II, serão leiloadas em Genebra, na Suíça, na próxima quarta-feira, 10. Entre as peças, que foram contrabandeadas para fora do país durante a Revolução, no ano de 1917, pode-se encontrar pedras preciosas com cores diferenciadas, como azul escuro e rosa.

O acessório mais promissor para os especialistas da casa de leilões suíça Sotheby’s é um raro anel, que conta com um diamante rosa-alaranjado e pesa 25,62 quilates. A avaliação da peça estimou que sue valor varia entre 3,6 milhões e 5,38 milhões de francos suíços, montante que equivale a cerca de 27 milhões de reais.

O chefe de vendas e especialista em joias da Sotheby’s Geneva, Oliver Wagner, expressou o entusiasmo com o anel durante um depoimento para a CNN: “Um lindo cristal, é uma cor fantástica com um pouco de laranja, mas não muito, por isso é uma cor muito sutil”.

A coleção também animou colecionadores de joias históricas, que estão de olho nos antigos pertences de Pavlovna, parte da hoje quase extinta família real russa.

Tendo escapado do país, Maria morreu na França em 1920, mas não antes de deixar um broche oval de safira e diamante e brincos com um amigo, o diplomata britânico Albert Henry Stopford, que manteve os valiosos artefatos em Londres. 

Oliver Wagner contou um pouco mais sobre a vida de Pavlovna, para contextualizar o interesse dos compradores nas peças da duquesa:

Elas pertenciam à Grã-Duquesa Maria Pavlovna da Rússia, que era a rainha da vida social em São Petersburgo. Ela era a esposa do Grão-Duque Vladimir, então filho do czar [Alexandre II], e ela tinha uma coleção fantástica de joias “, afirmou o chefe de vendas.