Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Rússia

Jornal é multado pelo governo russo por "desacreditar as Forças Armadas"

Jornalistas que não estejam veiculando a mesma narrativa do Kremlin enfrentam censura no país

Redação Publicado em 09/06/2022, às 19h54

Vladimir Putin, atual presidente da Rússia - Getty Images
Vladimir Putin, atual presidente da Rússia - Getty Images

O governo da Rússia processou mais de um meio de comunicação recentemente devido a discordâncias em relação às informações veiculadas por esses. 

O Vecherniye Vedomosti, por exemplo, um jornal independente, acabou recebendo uma multa de valor equivalente a 12 mil reais. O motivo da penalidade financeira foi uma postagem feita no Telegram no dia 18 de março, em que o veículo reportou a prisão de um artista que havia distribuído pela rua adesivos contrários à guerra contra a Ucrânia.

Embora o exército do país não tenha sido citado, a acusação por trás da multa seria que o jornal teria "desacreditado as Forças Armadas russas" com sua publicação, segundo repercutido pelo MediaTalks. 

Estamos indignados por estarmos, de fato, sendo punidos justamente por nossas atividades jornalísticas. Tudo parece vingança por nossa posição independente. E uma tentativa de nos destruir sem nos bloquear — nos esmagando financeiramente", afirmou Guzela Aitkulova, a diretora do meio de comunicação, em uma reunião com o Comitê de Proteção a Jornalistas (CPJ). 

Outro exemplo

Já o site 60.ru foi levado à justiça porque supostamente teria divulgado "informações confidenciais" ao publicarem uma lista de soldados russos falecidos durante o combate na Ucrânia. 

Os nomes repercutidos pelo veículo, contudo, teriam sido disponibilizados por fontes oficiais, segundo defendem os jornalistas que administram o portal. Eles estão atualmente sendo julgados, e, caso percam, estão sujeitos a até 15 anos de prisão, ainda de acordo com o MediaTalks. 

Os dois casos são apenas alguns dos desdobramentos mais recentes ocorridos na Rússia após a aprovação, no início de março, de uma lei que proíbe coberturas jornalísticas do confronto militar com a Ucrânia que sejam consideradas desmoralizadoras para o exército russo.

Vale mencionar ainda que as emissoras televisivas estatais do país, que são controladas pelo governo, têm recebido críticas internacionais há meses por conta da narrativa que promovem a respeito da guerra, chamada por esses veículos de "operação especial militar".