Black Friday Amazon 2021
Notícias » Estados Unidos

Jornalista americano é solto três dias após ser sentenciado pela ditadura de Mianmar

Danny Fenster havia recebido uma sentença de mais de 11 anos de prisão

Isabela Barreiros Publicado em 17/11/2021, às 10h03

O jornalista americano Danny Fenster
O jornalista americano Danny Fenster - Divulgação/Youtube/Click On Detroit | Local 4 | WDIV

Na última segunda-feira, 15, o jornalista americano Danny Fenster foi solto depois de ficar preso desde maio e três dias após receber uma condenação de 11 anos de prisão pela ditadura de Mianmar, país no Sudeste Asiático que vive um governo autoritário desde o golpe de Estado em fevereiro.

Fenster atuava como editor-chefe da revista digital Frontier Myanmar e recebeu a sentença ao ser condenado por incitação, associação com grupos ilegais e violação de leis de imigração. Ele também foi acusado de sedição e terrorismo, que poderiam somar mais 20 anos de detenção.

O jornalista deixou Mianmar no começo da semana e partiu para o Qatar depois das negociações lideradas pelo ex-diplomata americano Bill Richardson com o governo do país. Ele recebeu anistia depois que os negociadores solicitaram “manter a amizade entre os países e enfatizar causas humanitárias".

"Sinto-me ótimo e muito feliz por estar voltando para casa", afirmou Fenster. "Você fica um pouco louco e, quanto mais o tempo se arrasta, mais preocupado você fica que aquilo nunca vai acabar. Essa era a maior preocupação: permanecer são."

De acordo com a Folha de S. Paulo, o editor-chefe foi perguntado se sofreu maus-tratos enquanto estava preso em Mianmar. "Fui preso e mantido em cativeiro, então suponho que sim. Mas, fisicamente, eu estava saudável", respondeu.

A família do jornalista também lançou uma nota para agradecer os envolvidos com o resgate. Eles escreveram:

"Estamos muito felizes que Danny tenha sido libertado e esteja a caminho de casa. Estamos ansiosos para tê-lo em nossos braços. Somos imensamente gratos a todas as pessoas que ajudaram a garantir sua libertação, especialmente ao embaixador Richardson, assim como aos nossos amigos e ao público que expressou apoio e esteve ao nosso lado, enquanto suportamos esses longos e difíceis meses."