Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / A Mulher da Casa Abandonada

Jornalista revela motivo que chateou ‘A Mulher da Casa Abandonada'

Podcast de Chico Felitti se tornou um dos assuntos mais comentados nas últimas semanas

Fabio Previdelli Publicado em 12/07/2022, às 15h49

Imagem ilustrativa do podcast 'A Mulher da Casa Abandonada' - Divulgação/Folha de S. Paulo
Imagem ilustrativa do podcast 'A Mulher da Casa Abandonada' - Divulgação/Folha de S. Paulo

Desde que o podcast ‘A Mulher da Casa Abandonada' estreou nas plataformas digitais, nenhum outro assunto foi tão falado nas redes sociais quanto a história de Margarida Bonetti

Moradora de uma mansão caindo ao pedaços em um dos bairros mais nobres da capital paulista, no Higienópolis, Margarida é procurada pelo FBI há mais de 20 anos por ter mantido sua empregada doméstica em condições análogoas à escravidão quando ela e o marido, Renê Bonetti, moravam nos Estados Unidos. 

Quem acompanhou a história por trás do casarão que se tornou, hoje, símbolo da herança escravocrata do país é o jornalista Chico Felitti. Em entrevista à Folha de S. Paulo, ele se diz surpreso sobre a repercussão do podcast. 

"Eu não estou produzindo mais nada. Parei até de escrever meu próximo livro [que lança em novembro], porque simplesmente não consigo. Agora, fico o dia inteiro falando sobre o caso, respondendo mensagens nas redes sociais e atendendo ligações", diz. 

Meus últimos 15 dias têm sido um balcão de ‘A Mulher da Casa Abandonada’.”

Os próximos episódios

Dividido em sete partes, o sexto episódio da série será liberado na próxima quarta-feira, 13, e trará explicações legais sobre o caso. "No sexto episódio, que sai nesta semana, a gente esmiúça o que houve juridicamente no caso, na herança da família dela e o por que não existem grandes possibilidades de Margarida responder por esse crime”, aponta Felitti

O jornalista conta também que o episódio final, que vai ao ar dia 20, trará a gravação de uma conversa com a própria Margarida. "A série não sairia se eu não tivesse documentado que Margarida estava ciente de que um podcast sobre a vida dela seria publicado e de que ela tinha espaço para dar sua versão".

Felitti revela que a conversa com a mulher só foi possível após ele acampar em frente à mansão por alguns dias, tempo necessário para ele conseguir chamar a atenção da moradora. 

"Ela disse que é um caso horroroso e que ia falar comigo, mas aí se trancou novamente. Pensei que a entrevista não fosse acontecer, mas já estava feliz de ter gravado que ela estava ciente do podcast", conta. 

No mesmo dia, porém, Bonetti entrou em contato com ele e os dois conversaram por quase duas horas e meia. Chico ainda diz que a mulher da casa abandonada chegou a ouvir dois episódios do podcast e ficou chateada pelo fato dele ter errado o nome de um de seus cachorros. 

Talvez eu dê um 'Erramos', porque, aparentemente, falei o nome do cachorro que já tinha morrido”, completa.

+ Leia a entrevista completa de Chico Felitti com a Folha de S. Paulo clicando aqui!