Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Rússia

Jornalista russa será encaminhada para hospital psiquiátrico depois de presa

A jornalista foi acusada de divulgar 'informações falsas' sobre bombardeio russo em Mariupol, na Ucrânia

Redação Publicado em 06/07/2022, às 19h28

Jornalista russa será encaminhada para hospital psiquiátrico - Divulgação/Redes Sociais/Maria Ponomarenko
Jornalista russa será encaminhada para hospital psiquiátrico - Divulgação/Redes Sociais/Maria Ponomarenko

Acusada de disseminar fake news sobre a guerra da Ucrânia, a jornalista russa Maria Ponomarenko será internada em hospital psiquiátrico na Sibéria, após já ter sido presa em São Petersburgo em abril deste ano.

A jornalista de 44 anos foi presa em 23 de abril acusada de divulgar informações falsas sobre as forças armadas russas sobre o bombardeio russo a um teatro na cidade de Mariupol em 16 de março, na Ucrânia, que ocasionou a morte de muitos civis.

O Ministério da Defesa da Rússia culpa a morte de centenas de civis ao nacionalistas ucranianos e nega seu envolvimento no ocorrido.

Sem 'autorização'

Maria Ponomarenko é membro de um canal do Telegram, do site 'RusNews', para o qual ela trabalha, que mantém o compartilhamento de informações sem a autorização do Kremlin.  A repórter foi acusada de passar informações par outro grupo de nome “No Censorship”.

É impossível ficar calado, sabendo da morte de milhares de pessoas inocentes”, teria compartilhado no grupo. 

Após a ordem do tribunal de que ela ficasse detida por dois meses aguardando investigação, a jornalista foi enviada para avaliação no Hospital Psicológico Clínico de Altai, permanecendo no local por 28 dias.

Detenção

Segundo o MediaTalks, quando presa, Maria Ponomarenko, foi impedida de visitar parentes e receber cartas, podendo apenas encontrar com seus advogados. Durante esse período também, em publicação do RusNews em seu canal do telegram, a jornalista relatou seu período de detenção em Barnaul.

“O problema de estar sob custódia não é apenas o isolamento da sociedade. Um dos principais problemas é a saúde, ou melhor, sua perda inevitável", disse. "E o que foi dito acima está relacionado a dois fatores: a falta de remédio e a nutrição repugnante”, ela diz. 

A Rússia alterou suas leis após o início da guerra na Ucrânia. Com o objetivo de criminalizar a divulgação de informações que não seguem a narrativa exigida e propagada pelo governo. As pessoas que descumprem essas leis são condenadas a pena de 5 a 10 anos de prisão.

Confira abaixo o vídeo do momento de sua prisão.