Notícias » Bizarro

Jovem britânica salva irmã gêmea de crocodilo em lagoa no México

O episódio aconteceu durante um passeio turístico e, para libertar a irmã, a mulher teve golpear o animal com as próprias mãos

Pamela Malva Publicado em 09/06/2021, às 14h30

Imagem meramente ilustrativa de crocodilo
Imagem meramente ilustrativa de crocodilo - Divulgação/Pixabay/pixel2013

Enquanto nadavam na Lagoa Manialtepec, no México, no último domingo, 06, duas irmãs foram surpreendidas por um enorme crocodilo. Nascida na Inglaterra, Melissa Laurie, de 28 anos, foi abocanhada pelo grande animal e só conseguiu sair com vida do episódio porque sua gêmea, Georgia, a salvou da impiedosa mordida do réptil.

Segundo informações do Daily Mail, as irmãs britânicas estavam em um passeio noturno pela região. Ao chegarem na lagoa, que é conhecida por ser iluminada por organismos vivos em um processo chamado de bioluminescência, as jovens perguntaram ao seu guia turístico se poderiam nadar nas águas brilhantes.

Com a permissão do especialista, as gêmeas pularam na lagoa. De repente, Melissa foi capturada pelo enorme crocodilo e, sem pensar duas vezes, Georgia se apressou para salvar a vida da irmã. Mesmo no escuro, ela golpeou o réptil com socos na cabeça e libertou a irmã da mandíbula do animal, arrastando a jovem inconsciente logo depois.

Fotografia das jovens irmãs gêmeas / Crédito: Divulgação/ Acervo Pessoal

 

 

As duas conseguiram chegar até o barco de turismo e, assim, foram encaminhadas para o hospital mais próximo. "Melissa está viva, mas não sabemos se seus ferimentos são fatais ou não. Ela tem água nos pulmões e está tossindo sangue”, narrou Sue Laurie, a mãe das irmãs. Com seu destino incerto, “ela foi colocada em coma induzido.”

Georgia, segundo Sean Laurie, o pai das jovens, também “sofreu lacerações e feridas de mordida”. Frente ao episódio, o Ministério das Relações Exteriores do México afirmou, em comunicado, que está "apoiando a família de duas mulheres britânicas que estão hospitalizadas no México e estão em contato com as autoridades locais".