Notícias » Estados Unidos

Em condicional, jovem de 15 anos é presa por não entregar as atividades do EAD nos Estados Unidos

Na sentença, a juíza Mary Ellen Brennan afirmou que a garota negra era uma “ameaça à sociedade” e violou a condicional com a ausência

Wallacy Ferrari Publicado em 16/07/2020, às 11h45

Imagem ilustrativa de jovem negra presa por trás de grades
Imagem ilustrativa de jovem negra presa por trás de grades - Pxfuel

Uma estudante, identificada apenas como Grace, 15, foi considerada culpada pela juíza Mary Ellen Brennan por “falhar ao enviar trabalho escolar” e por não comparecer às aulas online em seu colégio em Beverly Hills, EUA. Com a notificação, a garota foi conduzida para uma prisão de menores de idade.

De acordo com a mãe, a condenação ocorreu em maio e a estudante foi buscada em sua casa, sendo levada ao ‘Children’s Village’, um centro de detenção juvenil no subúrbio de Detroit, com capacidade para receber 216 jovens. A informação foi divulgada pela organização ProPublica, que conseguiu acesso ao processo da jovem, correndo em confidencialidade.

De acordo com a juíza, a garota violou a liberdade condicional — após um processo por brigar com a mãe e reter o celular de uma colega do colégio — e teve uma pena ainda mais rígida que a anterior, visto que a violação intensifica a pena. Desde 14 de maio, ela permanece como interna no instituto, com a audiência marcada para setembro.

De acordo com Charisse, mãe de Graco, a jovem raramente faltava nas aulas, mas sofre com o transtorno de déficit de atenção em casa, visto que, no sistema básico de educação estadunidense, a jovem tinha direito a um apoio individual nas aulas presenciais. A mãe acrescenta que a pena é injusta e não prevê situações decorrentes do isolamento social.