Notícias » Estados Unidos

Juiz nega pedido da Casa Branca e permite o lançamento do livro de ex-assessor de Trump

A obra de John Bolton contém informações polêmicas sobre o presidente norte-americano

Penélope Coelho Publicado em 20/06/2020, às 14h33

Donald Trump em 2017
Donald Trump em 2017 - Wikimedia Commons

De acordo com informações do jornal The Guardian, divulgadas neste sábado, 20, um juiz dos Estados Unidos se recusou a aceitar o impedimento do lançamento do livro do ex-assessor de Segurança Nacional, John Bolton.

O estreia do livro está marcada para a próxima terça-feira, e os exemplares já foram enviados para a maioria das livrarias nos Estados Unidos. Bolton foi funcionário de Trump entre abril de 2018 e setembro de 2019, em sua obra o homem pretende revelar atos controversos do presidente.

Donald Trump tentou adiar a publicação do livro The Room Where It Happened: A White House Memoir — Sala Onde Aconteceu: Uma Memória da Casa Branca, na tradução livre para o português — alegando que o conteúdo é confidencial.

Entretanto, a decisão do juiz Royce Lambert declara que apesar de Bolton não ter cumprido com sua obrigação quando divulgou assuntos sigilosos, isso não irá gerar grandes danos ao país.

"Embora a conduta unilateral de Bolton levante sérias preocupações de segurança nacional, o governo não conseguiu estabelecer que uma liminar é um remédio apropriado”, decretou o juiz.

A imprensa mundial vem repercutindo os prováveis assuntos que estarão no livro de John, como, por exemplo, a menção de Trump sobre uma possível invasão à Venezuela e o pedido de ajuda que o líder norte-americano fez ao presidente chinês Xi Jinping, para conseguir se reeleger.

Resposta

Através de sua rede social, Donald Trump afirmou que John Bolton irá pagar um preço alto pela publicação de sua obra: