Notícias » Emirados Árabes

Justiça britânica conclui que emir de Dubai assediou ex-esposa

A conclusão do Supremo Tribunal de Londres foi anunciada nesta quinta-feira, 24

Redação Publicado em 24/03/2022, às 14h29

Mohammed bin Rashid al Maktoum ao lado da princesa Haya
Mohammed bin Rashid al Maktoum ao lado da princesa Haya - Getty Images

O Supremo Tribunal de Londres concluiu, nesta quinta-feira, 24, que Mohamed Bin Rashid al Maktoum, o emir de Dubai, assediou e intimidou sua ex-esposa, a princesa Haya Bint Al Husseinem "níveis particularmente desproporcionais".

Conforme apontou o juiz Andrew McFarlane, o homem de 72 anos "exibiu consistentemente um comportamento coercitivo e manipulador em relação a membros de sua família." 

De acordo com informações da AFP, a princesa fugiu dos Emirados Árabes Unidos em 2019, refugiando-se em Londres. Ela alegava estar sendo "aterrorizada" pelo marido. Filha do já falecido rei Hussein da Jordânia, Haya, de 47 anos, foi a sexta esposa do governante de Dubai.

Em março do ano seguinte, um tribunal britânico entendeu que Mohammed havia "encomendado e orquestrado" o sequestro de duas de suas filhas que teve com outra esposa.

Mais tarde, em dezembro de 2021, ele foi condenado a pagar uma quantia de mais de 700 milhões de dólares para suaHaya e seus filhos, Al Jalila, 14, e Zayed, 10. Pouco antes, em outubro de 2021, a Justiça confirmou que o emir havia autorizado a clonagem do telefone da princesa e de seus advogados. 

Agora, o soberano poderá ter contato com os filhos apenas de maneira indireta, como, por exemplo, por meio de telefone, sendo Haya a única responsável por seus cuidados.