Notícias » França

Justiça condena francês que agrediu Macron a quatro meses de prisão

Na última terça-feira, 8, o presidente da França recebeu um tapa no rosto durante uma viagem a cidade de Lyon

Isabela Barreiros, sob supervisão de Penélope Coelho Publicado em 12/06/2021, às 10h58

Emmanuel Macron pouco antes de ser agredido
Emmanuel Macron pouco antes de ser agredido - Divulgação/Twitter/Ihtisham Ul Haq

Na última terça-feira, 8, o presidente da França, Emmanuel Macron, foi agredido durante uma viagem ao sul do país, na cidade de Lyon. O político se aproximou de um cercado com apoiadores, mas foi surpreendido com tapas.

Um vídeo que mostra o episódio viralizou nas redes sociais e ganhou atenção dos veículos de mídia da França. No registro, um homem grita ‘abaixo a Macronia’, uma referência ao seu governo, e logo um tapa é desferido contra o rosto do presidente.

Dois dias depois, na última quinta-feira, 10, o francês Damien Tarel foi convocado para prestar depoimento em um tribunal, no qual admitiu ter agredido Macron. Ele foi condenado pela Justiça francesa a quatro meses de prisão em regime fechado, como informa o G1.

Para o promotor do caso, Alex Perrin, a atitude do homem foi "absolutamente inadmissível", considerada por ele como um "ato de violência deliberada". "Esta sentença pune um desrespeito intolerável à instituição", afirmou.

Além dos quatro meses de prisão, Tarel também teve seus direitos civis suspensos por três anos, período que não poderá exercer o voto. Nos próximos cinco anos, ele também não poderá comprar armas de fogo. Concursos públicos estão proibidos para o resto da vida do francês, que deverá receber acompanhamento psicológico.