Notícias » Uruguai

Justiça do Uruguai condena oficiais aposentados por crimes cometidos durante a ditadura no país

Sete militares foram sentenciados por crimes contra humanidade, que acontecerem entre 1975 e 1977

Redação Publicado em 04/06/2021, às 08h25

Manifestação contra a ditadura civil-militar uruguaia
Manifestação contra a ditadura civil-militar uruguaia - Divulgação / Youtube / Parabólica

De acordo com informações da agência de notícias AFP, publicadas na manhã desta sexta-feira, 4, pelo G1, ontem, 3, a justiça do Uruguai condenou sete militares aposentados por crimes cometidos durante a ditadura militar uruguaia (1973-1985).

Segundo revelado na publicação, os oficiais foram sentenciados por crimes contra humanidade, incluindo tortura. José Nino Gavazzo, Jorge Silveira, Mario Aguerrondo, Ernesto Rama, Rudyard Scioscia, Mario Frachelle e Mario Cola, respondem por privação de liberdade e violência privada.

Os crimes foram cometidos entre os anos de 1975 e 1977, contra cerca de 30 pessoas que ficaram detidas em um centro de tortura clandestino em Montevidéu, chamado 300 Carlos. De acordo com a publicação, três dos militares condenados já cumpriam pena por delitos semelhantes, cometidos durante o mesmo período.

Segundo informações publicadas pelo jornal O Globo, estima-se que a ditadura militar do Uruguai tenha deixado 174 pessoas desaparecidas, acredita-se que mais de 100 pessoas tenham perdido a vida em cárcere durante esse período.