Notícias » Personagem

Kanye West chama a si mesmo de "novo Moisés"

No Twitter, o rapper afirmou que a indústria musical e o NBA podem ser classificados como “navios negreiros” dos tempos atuais

Redação Publicado em 15/09/2020, às 18h19

Kanye West em evento
Kanye West em evento - Getty Images

Após anunciar a campanha presidencial, o rapper Kanye West fez declarações sobre o atual status de sua carreira musical. O artista afirmou que não lançará musicas até a Universal Music Group e a distribuidora Sony finalizarem os contratos com o cantor. As informações são da Rolling Stone.

“Não vou lançar mais nenhuma música até que termine meu contrato com a Sony e a Universal”, postou através de sua conta oficial no Twitter. "Por Deus... Em nome de Jesus... venham me pegar."

Segundo Kanye, ele está “lutando pelo povo” com o objetivo de libertar artistas de contratos abusivos com gravadoras. “Eu não sou um cara da indústria bro… eu não me importo. Eu estou a serviço de Jesus Cristo. Nós precisamos da cura mundial. Eu sinto falta dos meus irmãos. Eu me recuso a discutir com homens negros em gravadoras que nem sequer somos donos… nem mesmo no Twitter”, afirmou Kanye na rede social.

Ainda durante o desabafo em sua conta oficial o cantor se comparou com Nat Turner, escravizado que se tornou um dos maiores símbolos da luta pelo fim do período nos EUA. “Preciso de um pedido de desculpas público de J. Cole e Drake para começar imediatamente... Sou Nat Turner... Estou lutando por nós.” 

Pouco tempo depois, o cantor se declarou o novo Moisés. Na visão do rapper, a indústria musical moderna e o NBA podem ser classificados como “navios negreiros” nos tempos atuais diante de contratos absurdos.

“Eu preciso checar os contratos de todo mundo na Universal e Sony. Eu não vou assistir meu povo ser escravizado. Eu estou colocando minha vida em risco pelo meu povo. A indústria da música e a NBA são os navios negreiros dos tempos modernos. Eu sou o novo Moisés”, disse o homem.